09 Jan 2019

Deus está entre nós quando amamos uns aos outros

Deus não vai permanecer entre nós se não amarmos uns aos outros com amor verdadeiro, sincero, concreto, amor que nos leva a querer o bem do outro

Se nos amamos uns aos outros, Deus permanece conosco e seu amor é plenamente realizado entre nós” (1João 4,12).

Queremos Deus presente no meio de nós, queremos viver na presença d’Ele e queremos que Ele esteja sempre vivo, que seja sempre adorado, glorificado e exaltado no meio de nós.

Deus não vai permanecer entre nós se não amarmos uns aos outros com amor verdadeiro, sincero, concreto, amor que nos leva a querer o bem do outro e jamais o mal. Deus está entre nós quando amamos uns aos outros.

Talvez, achemos que o mais importante seja adorarmos Jesus e nos colocarmos na presença d’Ele, mas, às vezes, vamos adorá-Lo para adorar a nós mesmos; às vezes, vamos adorá-Lo, mas fugimos do irmão que convive conosco, que trabalha conosco e está ao nosso lado, porque não queremos quebrar o nosso orgulho e saber que precisamos amá-lo.

Se nos refugiarmos em Jesus, não poderemos fugir do nosso irmão. O refúgio no coração de Jesus é para curar o nosso coração das decepções, das mágoas, dos rancores e ressentimentos. Precisamos sair da presença de Jesus vacinados pela força do amor. Às vezes, adoramos Jesus o dia inteiro, mas estamos com a mesma cara fechada, com o mesmo coração fechado, não estamos querendo amar.

Não vamos mostrar que Jesus está entre nós falando para as pessoas: “Olha, Ele está ali no sacrário!”. A nossa fé nos ensina que Ele está lá, mas as pessoas só tocarão nesse Jesus quando virem amor em nós.

É escandalosa a forma como vivemos a nossa fé cristã! É irmão falando mal dos outros; são grupos atacando os próprios grupos; as pessoas da igreja falando das outras. Desculpe-me, mas que amor é esse, em que as pessoas se colocam umas contra as outras dentro da própria vivência da fé?

Há pessoas que não suportam estar na presença de outra! Na igreja, até selecionamos a quem damos a paz de Cristo, a quem cumprimentamos, para quem vamos sorrir. Eu poderia chamar esse amor de hipócrita, mas não existe amor hipócrita, amor é somente amor. Na verdade, a hipocrisia quer se disfarçar de amor.

Se há fakes para tudo neste mundo, há falsos amores; e estamos, muitas vezes, recheados dessa falsidade, fingimos que amamos, que gostamos, quando a nossa própria forma de ser contratestemunha para todos que não queremos bem essa ou aquela pessoa.

Não posso negar que, na minha própria vida, há pessoas que me fizeram mal. O que me doí é que são pessoas da própria caminhada. Eu jamais me proponho a falar mal, a querer mal, desejar mal e fazer mal a quem um dia não me quis bem. Talvez, eu não tenha a força de amar aquela pessoa com o amor sublime, até porque, às vezes, ela não queira esse amor, mas eu tenho pedido sempre a Deus o amor caridade, por isso essas pessoas estão em minhas orações, em minhas preces e nos meus melhores sentimentos.

Amemos, porque sem amor não há vivência autêntica de fé.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Ajude a Canção Nova!

0%

Confira a ediçao especial da revista
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.