28 fev 2017

Viver o desprendimento para entrar no Reino dos Céus

Jesus nos chama para um desprendimento de vida

“Quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida e, no mundo futuro, a vida eterna.” (Mc 10,29)

Na mentalidade compensatória que o mundo tem, as pessoas dizem: “O que eu ganho se fizer isso?”. Veja, as pessoas são assim: “o que vou ganhar com isso?”. É uma mentalidade capitalista, fazem uma coisa para receber, ganhar outra: “Se eu deixo isso aqui, o que vou ganhar de volta?”.

Jesus nos chama para um desprendimento de vida, um desapego. É mais desapegado quem mais recebe, porque tem o coração mais livre. Se você é apegado só com o seu filho, desculpe-me, você vai ter só aquele filho para você. Mas se você sabe ser desapegada e, sem deixar de amar seu filho, abre-se à amplitude, você vai ter mais filhos para amar. Eu vejo pessoas que são capazes de amar seus filhos e outros filhos que precisam ser amados. Que beleza é ver isso!

A virtude do desprendimento faz multiplicar aquilo que temos na nossa vida, já aqui. Eu digo desprender, não desprezar, pois são duas coisas diferentes. Muitas vezes, o apego demasiado é um exagero, um exagero de pegar e não querer largar; e o dia que perde, por causa da força natural das circunstâncias, a vida da pessoa acaba, porque não sabe viver o desprendimento.

O amor que devemos ter uns para com os outros é o amor profundo, sincero, é um amor em que damos o melhor de nós para o outro, mas nunca um amor doentio, pois este leva as pessoas a se tornarem consequentes e sofredoras na vida.

Estamos vendo o quanto as pessoas sofrem quando criam os filhos e estes, agora, têm de partir para fazer a sua própria vida, seja pra estudar, trabalhar ou formar uma outra família, e a vida da mãe acaba!

Aquela filha continua sendo sua filha, e uma vez que você desprende dela, ela vai lhe dar até mais filhos, pois virão os netos. Se ela for ser uma religiosa, que beleza vai ser!

Se vivermos a mentalidade do apego demasiado das coisas, das pessoas, não vamos experimentar a abundância do Reino de Deus.

Como Jesus diz, “aquele que desprende por causa de mim, já recebe aqui cem vezes mais e depois ainda tem a vida eterna como a consolação”.

A vida eterna já começa aqui, já vivemos essa dinâmica no desprendimento da vida, para que a vida eterna se encarne em nós, viva em nós. Que Deus nos ensine a termos um coração livre para servirmos como Ele merece ser vivido.

Deus abençoe você!

 


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários