11 abr 2011

Ser testemunha de Cristo por meio do amor e da misericórdia

Com a expressão: “Quem não tiver pecado atire a primeira pedra”, Jesus toca a consciência daqueles homens que se consideravam justos, sem pecados e, por isso, sem motivos de censura.

Na passagem de hoje, uma mulher que foi apanhada em adultério foi trazida à presença do Senhor pelos escribas e fariseus. Cristo estava pregando no Templo e havia muitas pessoas ao redor. E essa mulher foi posta no meio dessa multidão. Com certeza, ela passou muita vergonha. É provável que ela estivesse com os olhos fechados de tanta vergonha. E segundo a Palavra de Deus, ela só esperava as pedras voando em cima dela, como punição. Mas no fim, quando ela percebeu, não tinha mais ninguém ao seu redor. Jesus pregou para essa mulher? Não. Ele não pregou para essa mulher. Houve alguém que a condenasse? Não. Então Ele disse: “Eu também não te condeno. Vai e não peques mais”.

Se fosse no meu caso, – como sou padre – provavelmente eu aproveitaria essa oportunidade e passaria um sermão nessa mulher nos seguintes termos: “O que você estava pensando ao fazer uma coisa dessas? Você conhece os mandamentos da Bíblia. Você sabe que se você adulterar, seu castigo será o apedrejamento. Por que você fez isso? Falta juízo na sua cabeça! Não tem jeito, a Palavra diz isso“. Mas somos convidados a contemplar o silêncio de Jesus e a Sua misericórdia. “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” “Ninguém, senhor!”, respondeu ela. E Jesus conclui: “Pois eu também não te condeno. Vá e não peques mais!

Por outro lado, a mulher poderia ter dito: “Mas Jesus, segundo a Lei, eu adulterei. Então preciso morrer”. “Não se preocupe, vá!” Pode ser que ela não tenha compreendido o que lhe aconteceu. Mas, quando Jesus foi crucificado é provável que ela estivesse lá naquela multidão ou olhando de longe a triste cena. E, nesse momento, talvez ela tenha entendido: “Segundo a Lei de Deus, eu é que tinha que ser morta pelo meu pecado. Eu fui salva, mas, no meu lugar, aquele homem que me salvou está sendo crucificado”. E eu penso que, quando ela percebeu e entendeu o que tinha acontecido, ela chorou.

O Cristianismo tem muitos princípios bons, muitos mandamentos, mas ele não se restringe somente a isso. Ele é, sobretudo, misericórdia, perdão, piedade e amor de Deus entre os homens.

Somente saber os ensinamentos que estão escritos na Bíblia é ser um fariseu. É condenar e matar. Mas praticar o amor de Cristo nos torna testemunhas de Jesus. Convido a você a se desfazer das multidões. Nós gostamos de juntar pessoas para criticar, fofocar, censurar e condenar. Aprendamos com Jesus ir à procura da ovelha perdida, do filho pródigo, da pecadora excluída e marginalizada, dando-lhe uma oportunidade na vida, pois a Glória de Deus é que o homem viva e viva para sempre.

Padre Bantu Mendonça

Comentários