28 nov 2015

Sejamos sóbrios e vigilantes

Que Deus nos dê a santa sobriedade no comer, no beber e no lidar com as situações da vida, assim teremos a sensibilidade necessária para vivermos bem a cada dia

Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós” (Lucas 21, 34).

 

Para ter sensibilidade, olhar vivo e ligado nas coisas de Deus e sensibilidade com as próprias realidades humanas, precisamos nos prevenir e nos cuidar para que algumas coisas não roubem de nós a reta sensibilidade. Por isso, Jesus está nos advertindo para que o nosso coração não fique pesado, primeiro, pela gula, porque o excesso em comer nos deixa pesados, carregados e até incapazes de refletir melhor a vida.

Todos nós precisamos nos alimentar, mas não podemos nos entregar ao excesso de comer, porque, muitas vezes, o nosso próprio raciocínio fica mais lento, a vida mais vagarosa, a disposição se torna menor. Se não podemos padecer de fome, também não podemos nos encher de alimentos e nos tornarmos insensatos.

Cuidado com a embriaguez! Algumas pessoas podem achar: “Eu bebo um pouquinho ali e aqui, mas não tem problema!”. O  álcool nos tira do mundo em que estamos, torna-nos, muitas vezes, pessoas irresponsáveis e insensatas. Não preciso citar as enormes tragédias que o alcoolismo causa na vida humana, em termos de família e sociedade, com desastres e assim por diante.

O alcoolismo causa desequilíbrio na personalidade de um filho de Deus, causa perturbações nas causas humanas. Toda embriaguez é uma insensatez, um perigo para a alma!

Assim como a embriaguez e a gula, as preocupações exageradas com essa ou aquela situação também geram verdadeiras neuroses no meio de nós. Não é nada muito ofensivo, mas muito real como, muitas vezes, certas pessoas olham para as coisas com uma certa neurose, ficam tão fixadas naquela coisa, naquela situação, e criam coisas que não existem. Criam tantos alardes, situações negativas, que aquilo é um mal para o próprio coração.

Todo mundo tem responsabilidades na vida, as quais, muitas vezes, fogem do nosso alcance. O excesso de preocupação não ajuda em nada, pelo contrário, tira as forças que poderíamos ter ou a sensatez necessária para lidar ou resolver essa ou aquela situação.

Que Deus nos dê a santa sobriedade no comer, no beber e no lidar com as situações da vida, assim teremos a sensibilidade necessária para vivermos bem a cada dia!

Deus abençoe você!

Comentários