03 abr 2016

Sejamos instrumento da Misericórdia Divina para todos

O mesmo Deus que nos perdoa de tantos pecados nos dá força, graça e unção para sermos perdão e misericórdia ao próximo

“Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não perdoardes, eles lhes serão retidos” (João 20,22).

Neste domingo de bênçãos e graças, celebramos a Misericórdia Divina, recebemos de Deus a misericórdia, dom do Espírito Santo que é derramado em nossos corações. É Ele quem opera isso em nós, que nos perdoa, lava-nos de nossos pecados e dá-nos a graça de perdoarmos uns aos outros pelas falhas e pecados.

O Espírito Santo é derramado como dom primeiro para os apóstolos, que exercem, em nome de Deus, na autoridade apostólica, o sacramento da penitência. Por meio desse sacramento, todos podem ser lavados e redimidos dos pecados de forma objetiva.

A Igreja não perdoa os pecados, entretanto, ela é o canal, o instrumento pelo qual o perdão de Deus chega aos nossos corações. O padre não pode perdoar os nossos pecados, porque, somente Deus pode fazê-lo, mas o sacerdote é o instrumento escolhido e usado pelo Senhor. O ministro, o sacerdote, o bispo, todo aquele que recebeu a ordenação com esse poder, com essa delegação, age pela força do Espírito Santo para perdoar os pecados.

Uma vez que nossos pecados são perdoados por Deus e que somos lavados de nossos pecados, devemos exercer o mesmo perdão para com os nossos irmãos e irmãs. Precisamos ser instrumento da Misericórdia Divina para com todos os pecadores. Primeiro, tendo misericórdia e paciência com os nossos próprios limites e fraquezas; depois, exercendo a misericórdia nos campos da vida, onde estamos presentes.

Nossa casa e família precisam ser o primeiro lugar para vivermos o perdão e a misericórdia. Não se renova uma família se ela vive trabalhando, rodeada de mágoas, ressentimentos, desentendimentos e situações que não deram certo. Não se trabalha em cima de mágoas, mas de perdão, reconciliação, misericórdia, renovação e  superação.

“Ah, mas eu não dou conta!”. Pode ser que humanamente não tenhamos forças para dar conta de praticar o perdão necessário, mas o mesmo Deus que nos perdoa de tantos pecados nos dá força, graça e unção para sermos perdão e misericórdia nos campos de trabalho onde nos fazemos presentes nesta vida.

Neste domingo santo da Misericórdia Divina, sejamos canal da misericórdia de Deus onde quer que estejamos!

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do Padre Roger

Comentários