23 nov 2015

Sejamos generosos com o próximo como Deus é conosco

Se desejarmos que cresça em nosso coração a marca da generosidade, virtude divina mais que necessária para que nossas relações sejam melhores, apliquemo-nos em viver a generosidade em todas as situações da vida

Pois todos eles depositaram, como oferta feita a Deus, aquilo que lhes sobrava. Mas a viúva, na sua pobreza, ofertou tudo quanto tinha para viver” (Lucas 21,4).

Nós podemos ser mesquinhos ou generosos, isso vale para todas as situações da vida, não é somente no que diz respeito ao dinheiro, mas sim ao tempo, à intenção, ao cuidado com o outro, ao tempo que temos para Deus. É triste, mas muitas pessoas, por exemplo, não participam das coisas de Deus, porque não têm tempo. Elas dizem: “Eu gostaria muito, mas não tenho tempo!”. 

O que as pessoas estão dando para Deus? O que sobra. O que sobra do tempo e das finanças. O que está sobrando nós ofertamos a um pobre, a um doente ou para quem quer que seja. Quando fizermos aquela nossa avaliação de fim de ano, vamos dar aquela limpeza nas coisas, ver o que não presta, o que está estragado, o que não queremos mais. Geralmente é isso que damos aos outros.

Desculpe-me, mas dar o que sobra é próprio das pessoas mesquinhas. Quem é generoso dá o que tem, dá do melhor de si, é capaz de tirar de si próprio para ofertar e dar ao outro. Se desejarmos que cresça em nosso coração a marca da generosidade, da virtude divina mais que necessária para que nossas relações sejam melhores, apliquemo-nos em viver a generosidade em todas as situações da vida.

O que a viúva fez é o que acontece em tantas situações da vida. Olhe para o ofertório de uma Missa, às vezes, a pessoa abre a sua carteira e tira uma nota de cinco reais, por exemplo, mas procura uma notinha que esteja velha, que esteja estragada, que não tem importância, ou as moedinhas que sobraram.

Aqui não vale a comparação da quantidade, porque o mais importante para Deus não é a quantidade do que se dá no templo, não é a quantidade que se dá para ajudar essa ou aquela instituição de caridade. O mais importante é a generosidade com que se faz qualquer coisa. Alguém lhe pede uma ajuda e você diz: ‘Vou ver se posso ajudá-lo!’. E realmente você procura e o que sobrou para doar.

Todos nós passamos, muitas vezes, por situações apertadas, mas é bonito ver a generosidade dos mais pobres e simples, eles são os mais empenhados. Quando não podem ajudar financeiramente, ajudam de outra forma, seja trabalhando, colaborando, rezando e dizendo: “Eu estou presente e quero, de alguma forma, colaborar ou participar [com a Igreja]!”.

Não seja mesquinho na vida, não seja aquele que dá só o resto, só o que sobra. Sejamos generosos como Deus é sempre generoso conosco.

Vamos dar o melhor de nós. Assim, podemos ter a certeza de que a generosidade vai sempre fazer florir coisas belas em nossa vida!

Deus abençoe você!

Comentários