13 mar 2013

Reassuma o amor do Pai em sua vida

Muitas vezes, vivemos tantas experiências ruins – até mesmo com o próprio pai – que alguém pode dizer, por exemplo: “Meu pai é mau!” ou “Meu pai é um monstro!” ou ainda “Eu tenho medo (ou vergonha) do meu pai”. Mas independente do jeito que é ou foi o seu pai da Terra, o seu Pai do Céu não é mau. Ele não é um monstro. Você não precisa ter medo nem vergonha d’Ele. O seu Pai do Céu é amor. E você é filho deste amor.

Como é importante, em nossos dias, relembramos isso: somos filhos de Deus. Você é filho de Deus. Somos da mesma família. Temos uma dignidade muito grande de filhos do Céu. Mesmo que você, às vezes, se esqueça disso, saiba que você é filho do Pai.

Muitas pessoas, em nosso tempo, infelizmente, começaram a viver como filhos de “qualquer outra coisa”, menos como filhos de Deus.

É tão importante olharmos para este Evangelho de hoje e percebermos que a resposta de Jesus, diante daqueles que O criticavam, é contundente: “Em verdade, em verdade vos digo, o Filho não pode fazer nada por si mesmo; ele faz apenas o que vê o Pai fazer” (Jo 5,19). O Filho não faz nada por si mesmo, mas somente aquilo que aprendeu do Pai.

Tudo o que vemos na vida de Jesus – Seu jeito, Seu sorriso, Sua misericórdia, Seus ensinamentos, enfim, tudo aquilo que Ele é, é a imagem do Pai!

Como me assusta ver pais que não se empenham em ser exemplo de vida para seus próprios filhos! Pais que vivem ausentes da vida de seus filhos e, depois, assustam-se, sem saber, a razão pela qual eles se desviaram no vício das drogas, perdidos, longe de Deus, fazendo coisas que lhe causam tanta vergonha.

Muitos pais, que não foram exemplo de fé e de amor para seus filhos, poderão ter de ouvir um dia, da boca deles, aquilo mesmo que Jesus acabou de nos dizer: “Em verdade, em verdade vos digo, o Filho não pode fazer nada por si mesmo; ele faz apenas o que vê o Pai fazer”.

O nosso mundo e os nossos filhos, nos dias de hoje, encontram-se cada vez mais perdidos, porque os pais estão cada vez mais perdidos! Certa vez, indo a uma delegacia visitar um rapaz, o escrivão que ali trabalhava me disse: “Padre, se um dia o senhor escrever um livro, escreva um livro assim: ‘Pais complicados, filhos idem'”. Porque é ali, com o pai e a mãe, que o filho e a filha vão aprender muitas coisas.

Meu pai faleceu antes de eu nascer. Tive a oportunidade de ouvir muitas histórias a seu respeito. Como eu tenho o mesmo nome que ele – Sóstenes -, quando eu ia visitar meus familiares, em minha terra natal, as pessoas que o conheciam como “Sostinho” perguntavam-me: “Você é o filho do Sostinho?” Daí eu respondia: “Sim”. Então, aquelas pessoas teciam muitos elogios sobre meu pai.

No entanto, elas sempre repetiam que meu pai era um “garanhão”, que “pegava” muitas mulheres. Eu cresci ouvindo isso. Aquilo passou a ser a minha referência. Você acha que eu queria ser padre quando crescesse? Não! “Ser padre” veio muito tempo depois. Eu queria era ser como meu pai, pois havia construído essa imagem dele em meu interior. Mas eu encontrei a Deus.

O Senhor passou a ser uma referência nova em minha vida e a ensinar-me coisas diferentes. Eu tenho certeza de que meu pai da Terra, Sóstenes, não queria que eu o tivesse como uma referência de coisas ruins. Tenho certeza de que ele queria que eu fosse mais parecido com o Pai do Céu do que com o pai da Terra. Porque os nossos pais, aqui da Terra não são perfeitos. Não é?

Hoje é o dia de você reassumir, em sua vida, este Pai do Céu e a realidade de que você é filho d’Ele. Diante deste Evangelho, questione-se se tudo o que você tem feito em sua vida é reflexo, imagem do Pai. Ou melhor: perguntar às pessoas que fazem parte da sua vida, se elas veem o Pai em você.

Essas pessoas serão um “espelho” que revelarão se eu tenho sido – ou não – a imagem fiel do Pai, como um filho fiel, ou se eu sou apenas um “borrão”. Mais ainda: se sou tão somente uma “caricatura” do Pai, ou seja, aquilo que realça o que não é bom. Assim é a caricatura, enquanto a obra de arte mostra a beleza.

Você é chamado a ser como Jesus, Filho que é obra de arte do Pai. Sua imagem fiel.

Padre Sóstenes – Comunidade Canção Nova


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários