30 mar 2012

Por que me sinto derrotado diante das tribulações?

“Outra vez procuravam prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles” (Jo 10,39).  Para os que meditaram o Evangelho dessa semana, além de ler a partilha, puderam perceber que, durante toda a semana, os fariseus tentavam prender e apedrejar Jesus, mas nunca conseguiam fazê-lo.

Em primeiro lugar, eles não conseguiam prender Jesus, muito menos apedrejá-Lo, porque ainda não era a hora d’Ele viver a Sua Paixão. E nós, muitas vezes, em meio às doenças, ao desemprego, às tribulações na família, às dificuldades nos relacionamentos, ficamos apreensivos e nos sentimos como se já não tivéssemos mais forças para continuar. Mas saiba que nada é por acaso, porque Jesus jamais deixaria que algo nos acontecesse se não fosse a nossa hora.

O Senhor pregava sabendo que os fariseus tentariam prendê-Lo, mas Ele não tinha medo. Jesus os incomodava, mas o que O fazia perseverar era a confiança que Ele tinha no Pai, e esta vinha da oração.

Se você não reza nem busca Deus em oração, todas as vezes que surgirem tribulações, você se sentirá derrotado, desanimado e com sentimento de ter sido “abandonado” pelo Senhor na sua vida. Talvez, hoje, você esteja assim; mas saiba que Jesus está ao seu lado e nada vai lhe acontecer antes da hora.

O que devemos fazer é entrar no humano de Jesus, que foi perseguido, caluniado, maltratado e crucificado, mas, no fim, saiu glorioso e vitorioso. Essa é a vontade de Deus para a nossa vida, que nós saiamos vitoriosos nas tribulações e perseguições que temos sofrido. Saiba e perceba que, quando Jesus se sentia ameaçado, Ele se retirava do meio dos homens para ficar a sós com o Pai.

Hoje, Ele retorna à fonte, ao início do Seu ministério. Vai para o Jordão, onde foi batizado, recebeu a unção do Espírito Santo e a voz do Pai testemunhou a Seu favor. Assim, quando você se sentir ameaçado, volte às origens. Relembre-se do lugar onde foi batizado e deixe que reinflame em você a unção batismal para ser reconfirmado na fé e poder caminhar, pacientemente, ao encontro do Cristo vitorioso.

Você foi batizado na Igreja, na casa de Deus. Se voltar para lá – como Jesus fez para se fortalecer – sairá vitorioso. Por isso, acorde meu irmão, minha irmã! Saiba que, sem Deus, nada podemos fazer. Retire-se para a pia batismal, o lugar onde você recebeu a unção do Espírito Santo. Então, como Cristo, você será testemunha da Boa Nova da Salvação a todas as pessoas, a começar pelos da sua casa.

Ademais, a Igreja dá muita ênfase à missão evangelizadora do cristão, à necessidade e obrigação que temos de levar a Palavra de Deus até onde nos for possível. O acolhimento da Palavra é essencial para desenvolvermos nossa fé.

“A Lei chama deuses as pessoas às quais se dirigiu a Palavra de Deus” (Jo 10,35). O sinal efetivo da nossa fé se reflete nas obras que realizamos e que brotam segundo os critérios divinos, nos identificando como criaturas semelhantes a Deus. “Acaso não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’?” (Jo 10,34).

A verdadeira fé nos induz à disponibilidade divina, semelhante a de Maria na anunciação do anjo, tornando-nos instrumentos para a ação de Deus  junto aos nossos irmãos. O Senhor sempre age por meio dos homens, mas nós só teremos méritos quando nos colocamos conscientemente disponíveis à Sua ação.

As boas obras decorrentes da nossa fé são elementos importantes de evangelização, servindo de testemunho às nossas palavras, o que levou os contemporâneos de Jesus a afirmar convictamente: “João não realizou nenhum sinal, mas tudo que ele disse a respeito deste homem, é verdade” (Jo 10,41). Mas para isso é preciso voltar à fonte batismal para sermos reabastecidos constantemente.

Padre Bantu Mendonça

Comentários

Setembro

52%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários