31 Aug 2010

Permitamos a entrada de Jesus em nosso coração

Jesus fez da casa de Pedro, em Cafarnaum, a Sua segunda casa. 80% da vida pública de Cristo aconteceu em Cafarnaum, pois era um ponto estratégico – devido à grande circulação de pessoas – para o anúncio do Reino de Deus.

A sinagoga em que o Senhor se encontra, em Cafarnaum, segundo o episódio do Evangelho de hoje, fica exatamente ao lado da casa do apóstolo. Ali, Jesus constantemente instruía o povo. E está instruindo o povo quando uma pessoa possuída pelo demônio se manifesta, pois não consegue dividir espaço e ambiente para Aquele que é o Senhor da vida, a verdade e o caminho de todo ser humano.

Muitas realidades más ainda encontram espaço em nós, em nossa casa, em nosso coração, porque este espaço ainda não foi aberto para que Jesus possa entrar e operar na vida de cada um de nós. Onde o Senhor entra – e Ele quer entrar e só entrará se for convidado – nada daquilo que é contra a vontade de Deus permanece; tudo se manifesta para que a cura, a libertação e o amor de Deus possam ser revelados.

O demônio reconhece imediatamente que Jesus é o Santo, o Filho de Deus; e mais: o demônio admite e professa isso como sendo verdade. E nós, professamos com a nossa vida, com as nossas atitudes e testemunho que Jesus Cristo é o Santo, o Filho de Deus?

A grande meta do coração de Jesus é expulsar – com a nossa permissão – tudo aquilo que nos oprime, nos aprisiona, nos deixa cativos e sem vida; o que faz isso em nós é o pecado que entra em nosso coração, porque encontra lugar vago, vazio. Sempre que deixamos de fazer o bem – com amor – abrimos espaço para que o pecado aí se aloje.

Não há bem maior que possamos fazer do que deixar o Senhor entrar na sinagoga do nosso coração e expulsar todos os demônios que estão nos aprisionando e nos escravizando. Quando, neste caso, refiro-me ao demônio, estou me referindo ao pecado propriamente dito.

Façamos o maior bem que podemos fazer: dar Deus e a Sua Palavra ao nosso ser, ao nosso coração. Alimentados pelo amor e pela Palavra d’Ele, somos convidados a dá-Lo aos nossos irmãos. Aí está a causa da nossa vida, da nossa libertação, da nossa cura, da nossa salvação. Desta forma, o nosso coração vai se dilatando, se inflamando do amor de Deus, fazendo com que espaços não aconteçam para o mal se alojar.

Todos se admiram que Jesus mande nos espíritos impuros, ou seja, depois do evento Cristo – encarnação, paixão, morte e ressurreição -, o pecado e a morte não possuem mais a última palavra na nossa vida. Quem possui a última palavra é a vida, é Jesus Cristo. Acreditemos nesta verdade e não demos mais poder para quem não o tem! É preciso tomarmos a decisão de deixar o Senhor reinar sobre a nossa vida. O restante virá por acréscimo e por graça, como sempre; pois tudo nesta vida é graça, bondade, misericórdia de Deus.

Façamos o bem com gratuidade e generosidade. O mundo está do jeito que está não porque os maus são muitos, mas porque os bons não são santos, não são melhores para os outros, para a vida do próximo.

Padre Pacheco

Comunidade Canção Nova

Novembro

47%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.