30 nov 2014

Peçamos a Deus um coração vigilante

A Palavra desse Deus que vem ao nosso encontro é um convite para que redobremos a nossa atenção, para que acendamos a chama, a vela, a luz da vigilância em nossa vida.

“O que vos digo, digo a todos: Vigiai!” (Marcos 13, 37).

Começa hoje, com a graça de Deus, o tempo novo da Igreja que se chama ‘Advento’. Começamos assim o novo ano litúrgico, começamos a nos preparar, mais uma vez, para a primeira vinda de Jesus no Seu Natal, enquanto aguardamos, em feliz expectativa, a manifestação gloriosa do Senhor no fim dos tempos.

O Senhor que veio e que virá vem ao nosso encontro, hoje, por meio da Palavra, a qual é um convite para que redobremos a nossa atenção, para que acendamos a chama, a vela, a luz da vigilância em nossa vida.

Sabe, meus irmãos, “vigiai” é uma expressão que precisa estar gravada em nosso coração, porque nós, muitas vezes, cometemos erros e somos atropelados pela vida e pelas circunstâncias, porque não sabemos vigiar ou não vigiamos com a nossa conduta como convém. Levamos uma vida incauta, desprevenida, como se fôssemos viver a eternidade aqui na Terra; chegamos a dizer: “Não, depois me arrependo do que faço!”.

Não sejamos insensatos, mas sim pessoas de fé, que estão realmente convictas de que o seu Senhor virá. E precisamos estar preparados, aguardando a Sua vinda.

Creio que nem sempre é fácil compreendermos as formas como a “irmã morte” nos visitará. E como ela pega, tantas vezes, os nossos despreparados. Quantas pessoas morreram de formas inesperadas nessa vida, porque não tem como se negar aquilo que se acontece nas tragédias, aquilo que se acontece nos acidentes; ninguém queria que aquilo acontecesse, quanto menos quem se envolveu num acidente, vidas são ceifadas muito rápido naquele momento. Quem está preparado, está! E o que precisamos é fazer isso: estarmos preparados pela vigilância.

A vigilância mantém o nosso coração atento para não sucumbirmos nas tentações, para discernirmos aquilo que realmente é o correto e aquilo que não é de Deus. A vigilância acende a nossa atenção, é para nós o cuidado de Deus, o bom censo d’Ele agindo em nós para que não tomemos os caminhos errados nem nos afastemos da virtude por falta de cuidado.

Iniciamos esse tempo de graça pedindo a Deus, de forma insistente, que nos dê realmente um coração vigilante, um coração que esteja cuidando, esperando, preparando e preparado para receber o Senhor que vem ao nosso encontro.

Deus abençoe você!

Comentários