25 fev 2013

Os fortes compreendem e perdoam

Dos ensinamentos de Jesus, São Lucas retira quatro sentenças e no-las apresenta. Tudo começa depois da proclamação das bem-aventuranças. Nestas, Jesus quer nos ensinar a arte de bem viver entre os homens, pois é por meio dela que o homem viverá na paz, na harmonia e será verdadeiramente semelhante a Deus, seu Criador. Ele terá de aprender de Deus a ter compaixão, misericórdia e, imediatamente, aplicá-la aos seus semelhantes se quiser atrair para si a Misericórdia Divina.

Precisamos aprender de Deus a não julgar e condenar. Aliás, o julgar e condenar são características próprias dos fracos e inconstantes, porque os fortes compreendem e perdoam. Deus, por ser o Sumo Bem, o Todo-Poderoso, o Onisciente, compreende e sabe quais são as nossas limitações. Por isso, Ele nos perdoa todas as vezes que, perdoando os pecados uns dos outros, corremos a Ele pedindo perdão pelos nossos pecados. É o que Lucas, no seu Evangelho, nos propõe. Deus é misericórdia, é perdão, é reconciliação, é compassivo para com os pecadores.

Neste Evangelho, vemos o original ensinamento de Jesus em nos mostrar o rosto misericordioso de Deus. Ainda que os nossos pecados sejam tantos que não os possamos contar, eles não superam a tamanha bondade de Deus.

Num mundo marcado por indiferenças, rivalidades, cheio de excluídos, abandonados, depravação, criminalidade, o desafio é amar até os inimigos. É misericórdia, é confiança nos mais frágeis, partilha, serviço, é amarmo-nos uns aos outros, é perdoando-nos, é não julgar os outros, acolhendo-os, é não condenar, mas repartir o pão com os indigentes. Estes constituem o passaporte do Reino do Céu e a garantia da vida em Deus, com Ele e para Ele.

Padre Bantu Mendonça

Comentários