25 jun 2011

Olhe para a fé do centurião!

As promessas de Deus a Abraão não eram apenas para ele, mas para toda a sua descendência. E a descendência de Abraão são todos os que, pela fé, vão se tornar membros do povo de Deus. Assim o declarou Jesus, quando, no centurião, encontrou alguém que, não sendo descendente de Abraão segundo a carne – pois era um pagão – se tornou tal pela fé, enquanto que os que eram da descendência carnal dele [Abraão] seriam lançados fora por não aceitarem, na fé, a Palavra que Jesus lhes anunciava.

A fé do centurião nasce do testemunho de amor de Jesus. Não é uma fé decorrente das tradições do Judaísmo. Sua fé supera a fé de Israel. O “choro e ranger de dentes” aparece seis vezes em Mateus. É uma fórmula típica da manifestação da cólera divina contra o pecador, inspirada no Antigo Testamento. E Mateus é o único evangelista a fazer esta interpretação teológica.

Com a narrativa da expulsão de espíritos maus e das curas, o apóstolo [Mateus] associa o cumprimento das profecias na pessoa de Jesus Cristo. Ele faz a inculturação de Jesus de Nazaré nas tradições do Judaísmo. Cabe à ação missionária fazer a inculturação de Jesus nas diversas culturas do mundo de hoje. E os missionários de hoje somos nós! Eu e você, meu irmão.

A massa que temos por missão de fermentar, a carne – ou o peixe – que temos que salgar para não apodrecer é primeiro os de nossa casa: o marido, a esposa, os filhos. Depois os vizinhos, os amigos e colegas. Todos aqueles com quem nos encontramos no nosso dia a dia, que é uma tarefa dura e difícil já o sabemos. Mas que é possível o milagre acontecer não tenha dúvida: olhe para a fé do centurião.

A condição do centurião pode ser a minha e a sua. Assim como ele, implorando, pedia que Jesus fosse com ele para curar o seu empregado, assim eu e você devemos gritar para o Senhor: “Vinde, Senhor, curar a minha doença, os meus vícios e toda a minha família!”

Padre Bantu Mendonça


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários