31 mar 2011

O Reino de Deus já chegou!

O Evangelho de hoje pode ser dividido em três partes que também perfazem as três respostas de Jesus. A primeira parte diz respeito à comparação do Reino dividido. O Senhor denuncia o absurdo da calúnia dos escribas. Dizer que Ele expulsa os demônios com a ajuda do príncipe dos demônios é negar a evidência. É o mesmo que dizer que a água é seca, e que o sol é escuridão. Os doutores de Jerusalém O caluniavam, porque não sabiam explicar os benefícios que Cristo realizava para o povo. Estavam com medo de perder a liderança. Sentiam-se ameaçados na sua autoridade junto ao povo.

Já a segunda parte é uma pergunta sobre por quem expulsam vossos filhos os demônios? Jesus provoca os acusadores e pergunta: “Se eu expulso em nome de Belzebu, em nome de quem os discípulos de vocês expulsam os demônios? Que eles respondam e se expliquem! Se eu expulso o demônio pelo dedo de Deus, é porque chegou o Reino de Deus!”.

E para concluir vem a terceira parte: chegando o mais forte ele vence o forte. Jesus compara o demônio com um homem forte. Ninguém, a não ser uma pessoa mais forte, poderá roubar a casa de um homem forte. O Senhor é este mais forte que chegou. Por isso, Ele consegue entrar na casa e amarrar o homem forte. Consegue expulsar os demônios. Jesus amarrou o homem forte e agora rouba a casa dele, isto é, liberta as pessoas que estavam no poder do mal. O profeta Isaías já tinha usado a mesma comparação para descrever a vinda do Messias (cfr. Is 49,24-25). Por isso, Lucas diz que a expulsão do demônio é um sinal evidente de que chegou o Reino de Deus.

“Quem não está comigo é contra mim”. Jesus termina sua resposta com esta frase: “Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa”. Em outra ocasião, também a propósito de uma expulsão do demônio, os discípulos impediram um homem de usar o nome de Jesus para expulsar um demônio, pois ele não era do grupo dele. Jesus respondeu: “Não impeçam! Quem não é contra vocês é a vosso favor!” (Lc 9,50). Parecem duas frases contraditórias, mas não o são.

A frase do Evangelho de hoje é dita contra os inimigos que têm preconceito contra Jesus: “Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa”. Preconceito e não aceitação tornam o diálogo impossível e rompe a união. A outra frase é dita para os discípulos que pensavam ter o monopólio de Jesus: “Quem não é contra vocês é a vosso favor!” Muitas pessoas que não são cristãs praticam o amor, a bondade, a justiça, muitas vezes, até melhor do que os cristãos. Não podemos excluí-las. São irmãs e parceiras na construção do Reino.

Jesus acompanha as Suas palavras com numerosos «milagres, prodígios e sinais» (cfr. At 2,22), os quais manifestam que o Reino está presente n’Ele. Comprovam que Ele é o Messias anunciado. Os sinais realizados pelo Senhor testemunham que o Pai O enviou. Convidam a crer n’Ele. Aos que se Lhe dirigem com fé, concede-lhes o que pedem. Assim, os milagres fortificam a fé n’Aquele que faz as obras do Seu Pai: testemunham que Ele é o Filho de Deus. Mas também podem ser «ocasião de queda» (cfr. Mt 11, 6). Eles não pretendem satisfazer a curiosidade nem desejos mágicos. Apesar de Seus milagres serem tão evidentes, Jesus é rejeitado por alguns; chega mesmo a ser acusado de agir pelo poder dos demônios.

Todavia, ao libertar certos homens de seus males terrenos – da fome, da injustiça, da doença e da morte –, Jesus realiza sinais messiânicos; no entanto, Ele não veio para abolir todos os males deste mundo, mas para libertar os homens da mais grave das escravidões – a do pecado, – que os impede de realizar a sua vocação de filhos de Deus e é causa de todas as servidões humanas.

A vinda do Reino de Deus é a derrota do reino de satanás: «Se é pelo Espírito de Deus que Eu expulso os demônios, então é porque o Reino de Deus chegou até vós» (Mt 12, 28). Os exorcismos de Jesus libertam os homens do poder dos demônios. E antecipam a grande vitória de Jesus Cristo sobre «o príncipe deste mundo» (cfr. Jo 12, 31).

“Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa”. Como isso acontece na minha e na sua vida? “Não impeçam! Quem não é contra vocês é a vosso favor!” Como isso acontece em nossa vida? Você tem ciúme do bem dos outros, das pessoas, que iniciam a sua caminhada de fé e que se destacam na prática do bem e no anúncio do Evangelho?

Pai, transforma-me em instrumento de Teu amor misericordioso, a exemplo de Jesus. Por onde eu passar, possa ser testemunha de que Teu Reino já chegou para nós.

Padre Bantu Mendonça

Fonte: Blog do Padre Bantu

Comentários