17 dez 2011

O nosso Salvador é Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão

Uma genealogia cheia de nomes estranhos. Nomes de pessoas que não conhecemos. Isso é interessante? Talvez não, talvez sim. Isso depende do valor que damos à Pessoa de Jesus, pois, para quem quer se aprofundar no mistério da nossa salvação, a genealogia presente neste texto é bastante interessante.

Quem não conhece a Bíblia a achará uma coisa chata e vai se perguntar: Por que Mateus começa com uma genealogia? O que ele quer dizer com isso? E por que essa genealogia começa com Abraão e não com Adão, como no Evangelho de Lucas? Por que apóstolo colocou o nome de quatro mulheres nessa genealogia? E mais uma pergunta: é uma coincidência que houve três épocas com 14 gerações? Será possível que Mateus omitiu algumas gerações? São algumas perguntas, para mostrar que essa genealogia de jeito nenhum é forçada. Quem conhece a Bíblia a achará cativante e intrigante. Essa genealogia evoca perguntas.

Olhemos primeiramente para o título desta genealogia. “Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão”. Mateus escreveu seu livro especialmente para o povo judeu. Anos depois da rejeição de Jesus pelos judeus, seu objetivo é convencer os seus irmãos que este Jesus de Nazaré é o Cristo. Para provar isso, o apóstolo, muitas vezes, usa textos do Antigo Testamento para mostrar que as promessas antigas são cumpridas em Jesus Cristo. E cita as palavras dos profetas do Velho Testamento e, depois disso, diz: “O que foi dito naquela época, agora é cumprido”.

Nesta genealogia Mateus traz à memória a vida de Jesus para convencer os judeus de que o Senhor é realmente o Cristo. Este é o alvo desse Evangelho. E isso se mostra logo no início do livro. O apóstolo quer usar essa genealogia para revelar que Jesus é o cumprimento da promessa de Deus na pessoa de Abraão e anunciado pelos profetas. E isso está bem claro no primeiro versículo, no qual se fala sobre a genealogia de Jesus Cristo. Porém, “Cristo” não é o segundo nome de Jesus – assim como muitas pessoas têm dois ou três nomes – e também não é o sobrenome; “Cristo” caracteriza o trabalho d’Ele, a Sua missão. Assim, Jesus é o Cristo. Quer dizer: o Ungido. No versículo 17 isso fica ainda mais claro, pois lá o nome é repetido, mas com o artigo: “o Cristo”. Então, esta é a genealogia de Jesus, O Cristo, quer dizer: o Ungido, o Messias.

Pregar o Cristo. Este é o objetivo dela [genealogia]. E isso também se mostra no resto deste primeiro versículo: Ele é o Filho de Davi. Ele é o Filho prometido. O Senhor havia prometido a Davi que na casa dele nasceria o Cristo. E esse Filho prometido é Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sabendo disso, podemos entender por que Mateus também disse que Jesus é o Filho de Abraão, pois Abraão foi o patriarca do povo de Israel. Foi dito a respeito dele: “Em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12,3). Essa promessa foi realizada em Jesus, o Cristo. Este Jesus será uma bênção para todas as famílias da terra. Ele é o Salvador. O povo de Israel estava esperando por este Salvador. E, agora, Ele nasceu. Seu nome é Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão.

Portanto, de várias maneiras, São Mateus mostra, no título dessa genealogia de Jesus, que o Cristo nasceu. Isso não é uma enumeração seca dos ascendentes de Jesus, mas essa genealogia quer provar que o Cristo nasceu. Ela prega o Cristo!

Padre Bantu Mendonça


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários