11 jul 2012

O amor do Bom Pastor por Sua única ovelha

Ordenando aos discípulos para curar os doentes, ressuscitar os mortos, sarar os leprosos e expulsar os demônios, Jesus pretende que os Seus seguidores reproduzam a vida de Seu Mestre, ao mesmo tempo em que os convoca a empregar todos os recursos e forças para a solução dos problemas mais angustiantes das ovelhas perdidas da casa de Israel.

Cristo veio procurar a “única ovelha que se tinha perdido” (Mt 18,12). A única ovelha é você, seu marido, sua esposa, seu filho ou sua filha. O seu parente. É por esta alma perdida, por esta ovelha desgarrada que o Bom Pastor foi enviado. Ele que, desde sempre, nos foi prometido.

Jesus nos conhece e nos chama pelo nome: Simão, chamado Pedro, e o seu irmão André; Tiago e o seu irmão João, filhos de Zebedeu; Filipe, Bartolomeu, Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu; Tadeu e Simão, o nacionalista; e Judas Iscariotes. Jesus associa à Sua atividade um grupo de homens que irá pregar a Boa Nova e realizar os prodígios que Ele realizou. Aos Seus seguidores, o Senhor dá ordens para continuarem Sua obra em favor das pessoas, confere-lhes autoridade para expulsar maus espíritos e curar os doentes.

Por nós mesmos, como cristãos, não tínhamos um “poder mágico” para realizar esses milagres, mas o evangelista usa essa imagem para expressar a luta dos discípulos de todos os tempos contra tudo aquilo que destrói a vida humana física, psicológica ou espiritual.

Assim nos dá a conhecer o Seu amor por nós e nos compromete com e na Sua missão. Ele nos converte em discípulos e missionários com uma vocação específica na Igreja, por Ele mesmo instituída. Quer como bispos, quer como presbíteros ou como leigos.

Portanto, meu irmão, se Ele foi enviado como verdade para os ludibriados, como caminho para os transviados, como remédio para os doentes, como resgate para os cativos e como alimento para os que morriam de fome, você – como discípulo e missionário d’Ele no mundo de hoje – não pode nem deve ser outra coisa senão aquilo que Ele foi e é em mim e em você. Ele foi ao encontro de todos e de cada um, foi enviado às ovelhas perdidas da casa de Israel para que elas não se perdessem para sempre e tivessem vida em abundância.

Esta é a minha e a sua tarefa de hoje: anunciar a Boa Nova, descobrindo, no mundo, os “espíritos maus”, isto é, os males que escravizam as pessoas, e buscar a cura e a libertação para elas, pois o Reino de Deus está próximo.

Padre Bantu Mendonça

Comentários