28 jan 2017

Nossa fé vence os ventos contrários da vida

A fé nos coloca na posição de combate, ajuda-nos a vencer tantas tribulações e ventos contrários na vida

“Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” (Marcos 4,40).

Estamos acompanhando Jesus e Seus discípulos, fazendo essa travessia no mar da Galileia. Naquela travessia, uma forte ventania começou a soprar e as ondas começaram a se lançar dentro do barco.

É óbvio que, quando as ondas se agitam e o vento forte vem para abalar, estando num barco, num avião, num carro, estando em qualquer lugar, nós muitas vezes não sabemos suportar os ventos contrários. O que vem no coração humano nesse momento? Desespero, pânico, pavor. Começamos a nos apavorar e o medo começa a nos guiar, tomar conta de nós, tememos pela nossa vida, pelo que vai acontecer.

Não se trata de sermos super-heróis, de sermos os corajosos; trata-se de sermos pessoas de fé, para enfrentarmos as tribulações, as ventanias, os ventos contrários e as ondas agitadas da vida.

Com medo não conseguimos nada! Com medo só sucumbimos, somos enforcamos, atribulamo-nos mais e somos apenas vencidos.

A nossa couraça não é o medo, a nossa couraça é a fé! A fé nos mantém de pé, coloca-nos na posição de combate, ajuda-nos a vencer tantas tribulações e ventos contrários na vida.

Jesus estava deitado com calma, e você pode pensar: “Nossa, Jesus estava indiferente! Jesus não se preocupou com aquela situação”. Desde quando excesso de preocupação, agitação e desespero ajudam a resolver alguma coisa na vida?

Não é sangue frio, mas é serenidade de espírito. Não é simplesmente não se importar e achar que tudo vai acontecer de forma mágica e milagrosa. Não! O grande milagre de que precisamos, a cada dia, é termos um coração sereno, confiante de que nos mantendo firme em Deus enfrentamos as ondas agitadas da vida, as tribulações que estamos vendo à nossa frente nesta ou naquela situação.

Às vezes, recebemos uma má notícia, a nossa saúde nos abala, acontece uma situação na nossa família, enfrentamos situações adversas, somos traídos, enganados, iludidos. As coisas não dão certo para nós e desanimamos, prostramo-nos, começamos a temer, a nos desesperar e alguns fantasmas aparecem: fantasmas do medo, da ilusão, da agonia nos deixam realmente acabrunhados, atribulados, sem ânimo e esmorecidos.

Jesus, hoje, está nos perguntando: “Por que não tendes fé?”. Se Jesus disse ao mar: “Silêncio, cala-te!”, precisamos dizer ao medo, às tribulações, aos fantasmas e fantasias que se criam dentro de nós: “Silêncio! Cala-te”, porque Deus está no comando!

Deus abençoe você!

Comentários