12 mar 2012

Não se ache superior a ninguém

Estamos na cidade de Nazaré, o berço onde Jesus foi criado por seus pais. Então, como fez em outros lugares, Cristo se pôs a falar aos homens da cidade na sinagoga.

Apesar de maravilhados com as palavras de Jesus, esses homens não receberam a graça dos milagres d’Ele em suas vidas. Não tinham o coração aberto para receberem tais milagres e, por isso, ficaram furiosos quando Jesus afirmou – baseado em duas passagens do Antigo Testamento – que a graça vem para aqueles que abrem o coração ao novo, à Boa Nova.

Jesus havia crescido, evoluído em corpo, alma e divindade durante os anos em que passou afastado de Sua cidade. E como é revoltante quando queremos trazer algo novo para as pessoas que cresceram conosco e elas não nos dão credibilidade! A vontade que nos dá é de fazermos o que Jesus fez: denunciar a falta de abertura daquelas pessoas e seguir o caminho para outro lugar.

Acredito que seja essa a sua sensação diante dos seus, quando, retornando à sua casa, sua cidade, sua família e colegas de trabalho – por acharem que já o conhecem e, por isso, nada você tem para lhes ensinar -, estes não prestam muita atenção ao que você diz.

Eles acham que você não terá muito o que acrescentar à vida deles. E, no fim das contas, parece ser isso mesmo. Uma sensação de superioridade em relação a você, que pode até ter crescido em tamanho, mas pode não ter se desenvolvido tanto como pessoa. É como se fosse vergonhoso para eles aprender ou receber alguma coisa de alguém que consideram igual ou “menor” que eles.

Queremos fazer sucesso no ambiente em que as pessoas nos acolhem e nos admiram, porém, nem sempre somos acolhidos e admirados, porque seguimos os ensinamentos de Deus. Para todos nós é difícil evangelizar as pessoas no lugar onde todos nos conhecem. Assim aconteceu com Elias: num tempo de seca e fome, beneficiou uma mulher estrangeira da terra dos sidônios. O mesmo aconteceu com Eliseu: curou da lepra um general sírio, ao passo que, em Israel, essa doença vitimava muitas pessoas.

A conclusão de Jesus foi clara: já que o povo de sua cidade insistia em não lhe dar atenção, Ele sentiu-se obrigado a ir em busca de quem estivesse disposto a acolhê-Lo. Aos duros de coração, no entanto, só restava o castigo. Às vezes, não fazemos sucesso onde queremos, mas o Senhor nos envia até alguém que nem imaginamos, para que, com nosso auxílio, ela possa obter cura e libertação. Por isso, como Jesus, insista no anúncio, na cura e na libertação dos seus!

Por outro lado, é para mim e para você esta Palavra. Você acompanhou o crescimento de algum sobrinho, irmão ou primo mais novo? Você tem a sensação de que conhece tudo ou quase tudo sobre aquela pessoa? Engano seu.

Por isso, a lição de hoje é: não se ache superior a ninguém. Esteja aberto às novas possibilidades. Não é motivo de vergonha aprender ou receber algo de uma pessoa que você considera menos experiente. Aliás, não há nenhum pobre que não tenha nada a dar e também não há nenhum rico que não tenha nada a receber. Precisamos uns dos outros e aprendemos uns dos outros.

A reação dos habitantes de Nazaré, diante da pregação de Jesus, foi de aberta rejeição. Foi tal o desprezo pelas Palavras do Mestre que eles decidiram eliminá-Lo, lançando-O de um precipício.

É possível imaginar a decepção de Jesus diante da rejeição de Seus conterrâneos. Ele tentou compreender a situação, rememorando as experiências de profetas do passado que, rejeitados por Seu povo, foram bem acolhidos pelos estrangeiros.

Longe de nós seguir o exemplo do povo de Nazaré! Jesus quer encontrar, em nós, abertura para acolhê-Lo e disponibilidade para nos convertermos. Ninguém é “obrigado” a aceitar este convite. Entretanto, fechar-se para Jesus significa recusar a proposta da vida e da salvação que Ele, em nome do Pai, veio nos trazer.

Padre Bantu Mendonça

Comentários

Outubro

53%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários