02 fev 2011

Jesus, Maria e José, sejam para nós o modelo de família

No Evangelho de hoje vemos José e Maria, que formam uma família israelita comum, religiosa, que cumpre seus deveres e devoções. Seguindo a tradição cumprem o ritual de purificação da mãe e a apresentação de Jesus no templo: “Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor”. Jesus é consagrado ao Pai. José e Maria apresentaram Jesus como alguém pobre, oferecendo um casal de rolinhas ou pombinhas, a menor das ofertas.

Lucas era muito inteligente e sabia bem o que escrevia. Repare que nessa passagem da Apresentação do Senhor Jesus no templo, o evangelista insiste em mostrar como os pais d’Ele seguiam às leis, todavia, o mais importante são as profecias de Simeão. De fato, Cristo foi sinal de contradição, pois sempre seguiu as leis, todavia, foi Ele mesmo quem veio libertar o povo dessas mesmas leis que oprimiam.

O Filho de Deus é apresentado em Sua casa como pobre, um contraste com a riqueza do templo. Nesse local encontram o velho Simão, que fala maravilhas do Menino Jesus: “Luz para iluminar as nações”, luz que vinha de Deus Pai, e de Sua santidade, luz que nos liberta do pecado e da opressão. Diz que Jesus será aceito pelos excluídos e marginalizados da sociedade, e os poderosos e doutores da lei O rejeitarão, sendo então sinal de contradição. O que foi dito de Jesus deixam José e Maria admirados. O Senhor estava agora no templo em comunhão com o Pai, na casa do Pai, que também era Sua casa. E o Filho voltará para restaurar a casa do Pai, agora descaracterizada, pois Deus é e será sempre o protetor dos pobres, como o foi Jesus Nazareno em Sua vida inteira.

Irmãos e irmãs, que Jesus, Maria e José, sejam para nós o modelo de família que é a imagem de Deus, sinal de amor entre Deus e a humanidade e da entrega Cristo à Sua Igreja. Jesus nos é apresentado todos os dias, basta que percebamos Seus sinais, mesmo nas pequenas coisas encontramos sinais de Cristo. Percebendo os sinais do Senhor nos tornamos pessoas melhores, menos egoístas, mais humanas, perdoando e sendo perdoadas. Sendo misericordiosos nos tornaremos luz na vida de alguém. E ao nos tornarmos luz para os necessitados, é sinal de que nós acolhemos Jesus e Seus ensinamentos e que queremos nos libertar de nossos pecados. Não esquecendo que, ao deixarmos nosso coração fechado para luz da vida de Cristo, esse será o principal caminho para nossa queda.

E somos livres para escolher que caminho seguir: o caminho da justiça que liberta ou da injustiça que leva à morte.

Maria, nosso exemplo de mãe e missionária, em sua humildade aceitou e guardou em seu coração tudo o que lhe foi dito no templo. Protegeu o Filho, mas sabia que O estava criando para a humanidade. Aprendamos de Nossa Senhora tudo o que ela tem a nos ensinar.

Que Jesus seja a luz de nossas vidas, que possamos estar sempre a serviço do Reino de Deus e nos consagremos inteiramente a Ele. Confiemos em Seu amor de Pai, que nunca deixa um filho desamparado, mesmo quando achamos que fomos por Ele abandonados, Ele estará aqui sempre perto, no consolando e protegendo.

Senhor Jesus, possa eu aprender de Ti e de Tua família a obediência ao Pai e o serviço humilde à humanidade.

Padre Bantu Mendonça

Fonte: Retirado do Blog do padre Bantu


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários