12 mar 2013

Jesus, fonte do amor e da vida para todos

Segundo São João, por cinco vezes Jesus foi à Jerusalém por ocasião da grande festa do Templo. Enquanto para alguns a ida à Jerusalém é motivada pela participação nos ritos judaicos, para comer e beber. Para Jesus, o motivo é outro.

É sim o anúncio do seu projeto. Ele quer lançar “mãos à obra” diante da vontade de Deus, seu Pai, ou seja, dar a conhecer a todo o mundo que está chegando a hora em que o príncipe deste mundo será derrotado. Novos céus e a nova terra estão para chegar. E os verdadeiros adoradores já não dependerão das paredes do Templo de Jerusalém e nem tão pouco das sinagogas. Eles hão de adorar o Pai em espírito e em verdade.

Numa destas idas e voltas ao Templo – e precisamente na Porta das ovelhas onde costumavam estar os pagãos, negociadores, cambistas e outros, – Jesus se dá conta da enfermidade que infernizava a vida daquele homem. Curando um paralítico ali presente, Jesus revela ser a fonte do amor e da vida para todos. Em contradição, os judeus promotores da festa religiosa perseguem Jesus por sua prática misericordiosa.

Muitas vezes, as pessoas que sofrem diferentes formas de males possuem uma fé muito grande no poder de Deus, mas de algumas formas são impedidas de chegar até Ele e receber as suas graças, condição indispensável para a superação de seus males e sofrimentos. É o caso do paralítico, que acreditava no poder de Deus e na cura que viria pela ação do anjo ao agitar a água, mas era impedido pelos outros que entravam primeiro na piscina. Assim também acontece hoje quando criamos uma série de regras e preceitos humanos que dificultam a participação de muitos na vida divina e um relacionamento pessoal com Ele, que é a fonte de todas as graças que nos dão vida em abundância.

Apresente-se também a Jesus e diga a Ele: “Não tenho quem me ajude. Enquanto eu vou outros descem antes de mim…” E Ele que tudo pode lhe dirá: “Pega a tua maca e vai para a casa que tua fé te salvou”.

Padre Bantu Mendonça

Comentários