15 jul 2012

Igreja, mistério de comunhão

O chamado – e consequentemente o envio – é uma tarefa que não pode ser realizada no individualismo. Esse chamado é pessoal, a resposta a ele também, mas o ministério, o serviço deve ser entendido numa dimensão comunitária, pois a Igreja é mistério de comunhão.

Para que os apóstolos entendessem isso, o Senhor os enviou em missão, dois a dois, colocando como centro a “vida em comunidade” na ação missionária. Este foi o espírito do Concílio Vaticano II: a missão na Igreja-comunhão. A comunhão entre os fiéis em seus vários estados e estilos de vida faz com que toda a Igreja se sinta por dentro da missão de Jesus.

Para Marcos, no Evangelho de hoje, a missão dos doze apóstolos (e da Igreja hoje) é a mesma de Jesus. Cristo nos envia a pregar o Evangelho, a expulsar os demônios e a curar todas as enfermidades de várias formas.

Veja que Jesus, ao enviar os discípulos para continuar o seu trabalho, recomenda-lhes que não se preocupem com provisões, pois o Pai vai providenciar o seu sustento e abrigo, os quais virão das almas piedosas. Ordenou-lhes que não levassem coisa alguma para o caminho, senão somente um bordão; nem pão, nem mochila, nem dinheiro no cinto; como calçado, unicamente sandálias, e que se não se revestissem de duas túnicas.

Está aqui, a minha e a sua responsabilidade. Quero lembrá-lo, mais uma vez, do sustento e do abrigo dos padres, ajudando-os até mesmo com os nossos bens materiais ou financeiros. Isto é, portanto, de nossa inteira responsabilidade. A nossa contribuição para a Igreja é uma contribuição para Deus.

Quando alguém se prontifica a evangelizar, além das inúmeras graças que essa pessoa vai receber, ela também estará evangelizando a si mesma. Está santificando-se e, a cada dia, mais se aproxima de Deus e do Seu projeto de salvação.

Meu irmão, Deus o está convidando a fazer parte do Seu projeto de salvação. Não se preocupe se você não se considera devidamente preparado ou digno de tal missão. Garanto-lhe que, a partir do momento em que você aceitar o convite d’Ele para seguir com o trabalho iniciado por Jesus, todos os detalhes serão providenciados por Ele na pessoa daqueles que você irá orientar.

E aí, o que você está esperando? Qual a primeira coisa a fazer e como posso fazê-lo? Faça essas perguntas agora a Jesus. Tenho certeza que você encontrará a resposta imediata.

Pai, coloca-me no caminho da verdadeira piedade e caridade, aquela que vai me levar a uma perfeita sintonia com o Senhor, partilhando os meus bens materiais com os que precisam de mim, realizando aquilo que, de fato, é do Seu agrado.

Padre Bantu Mendonça

Comentários