11 dez 2010

O que irá nos sustentar nas tribulações e dificuldades?

Na liturgia da Palavra deste sábado, Jesus identifica Elias com João Batista, pois a força e a coragem profética que moveu os dois são semelhantes. Ambos são figuras do Cristo, a palavra encarnada do Pai. Assim como Cristo, eles pagarão com a própria vida o preço por anunciar a verdade.

A imagem do turbilhão de fogo que envolveu Elias é o fogo que ardeu em seu coração do amor pela verdade que o levou a conduzir muitos corações ao coração de Deus.

Nós cantamos no salmo de hoje “resplandecei a vossa face e nós seremos salvos!” (Sl 79). Quando Deus pôs seu olhar sobre a humanidade, ela foi redimida. No seu plano infinito de amor, Deus olhou para o coração de cada um de nós. Esse amor se manifestou plenamente da pessoa de seu Filho, Jesus Cristo, o Salvador.

A chegada do Salvador foi proclamada por João Batista. Ele anunciou o término do tempo de espera e o início de uma nova história, feita por homens novos, renovados pelo Espírito. Depois este anúncio ficou sobre o cuidado dos discípulos de Jesus, que são chamados a configurar sua vida ao mistério da vida de Cristo.

O seguimento custará o testemunho radical, que implicará perseguições e renúncias, pois se o Cristo, o Messias se coloca na linha dos profetas, também nós, seus discípulos, somos chamados a este caminho de seguimento.

Cada um de nós hoje, nessa liturgia, é chamado a renovar seu sim a Jesus. O que irá nos sustentar nas tribulações e dificuldades é a experiência profunda que fizermos com Cristo, acolhendo-O em nosso coração com todo o amor. Esta deve ser a nossa atitude nesse tempo de advento: “Preparai os caminhos do Senhor, endireitai suas veredas”.

Padre Donizete Heleno

Comunidade Canção Nova

Comentários