06 Mar 2011

Edifique sua casa sobre Jesus e ela jamais cairá!

Meu irmão e minha irmã, você já imaginou se depois de tudo o que fazemos nesta terra, pensando em receber uma recompensa no céu, ouvir de Jesus esta palavra: “Nunca vos conheci; afastai- vos de mim, vós que cometeis a iniquidade!” Você pode imaginar como é possível alguém que pregou em nome de Jesus ouvir do próprio Jesus: “Nunca vos conheci; afastai- vos de mim, vós que cometeis a iniquidade!” Como é possível que não O tenha conhecido? Como é possível alguém que expulsou demônios em nome de Jesus receber d’Ele mesmo esse tratamento?!

O merecimento ou não destas palavras se explica pelo que foi dito antes: “Nem todo aquele que me diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no Reino dos céus, mas sim, aquele que pratica a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizamos e em teu nome que expulsamos demônios e em teu nome que fizemos muitos milagres?‘ Portanto, o ‘Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” se torna consequência dos nossos atos.

Lembro-lhe: para que a oração seja autêntica, deve vir acompanhada pela luta contínua por cumprir a vontade divina. Do mesmo modo, para cumprir essa vontade não basta falar das coisas de Deus, mas é necessário que haja coerência entre o que se pede – o que se diz – e o que se faz: “O Reino de Deus não consiste em palavras, mas em realidades” (1 Cor 4, 20); “Sede cumpridores da palavra e não apenas ouvintes, enganando-vos a vós próprios” (Tg 1, 22).

Como cristãos fiéis ao Evangelho, e graças à sua força, unidos a quantos amamos e promovem a justiça, temos por realizar aqui na terra uma obra imensa, da qual prestaremos contas Àquele que a todos julgará no último dia. Porque para entrar no Reino dos Céus, para ser santo, não basta, pois, falar de modo eloquente da santidade. É necessário colocar em prática o que se diz e dar os frutos de acordo com as palavras. Aproxima-se a Quaresma e muitos de nós pensamos que, para vivermos bem este tempo e consequentemente sermos bons cristãos, basta somente rezar, jejuar e ouvir Missa. Eu julgo que não. Acredito que seja sim viver a fidelidade a Deus – como outro Jó e outro Abraão – no tempo da tribulação.

Precisamos excluir da nossa vida o viver externo da lei mosaica, e não as boas obras, fruto da fé em Cristo. Trata-se da ‘alicerçada e operada pela caridade’ (Gl 5,6), isto é, a fé que não é apenas adesão da inteligência a Cristo, mas adesão do homem todo: inteligência e vontade, pensamentos e obras. Justamente isto ensina Jesus, quando declara: ‘Nem todo aquele que me diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no Reino dos céus, mas quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus’. Deve a fé penetrar a vida toda e levar o homem não apenas ao simples reconhecimento abstrato da existência de Deus, mas ao reconhecimento prático: a submissão da própria vontade à de Deus, à conduta regulada conforme os divinos mandamentos. Portanto, quem reduz a profissão da fé à oração, ao apostolado, ou apenas ao exercício do ministério sagrado – ‘profetizamos em vosso nome e em vosso nome expulsamos demônios…’ – mas não a estendem a todos os setores da vida pessoal, mediante o cumprimento da vontade de Deus, ouvirão de Jesus um dia: ‘Nunca vos conheci’”.

Para não ouvirmos do Senhor essa palavra dura, é preciso levar muito a sério as palavras que se seguem: Assim, todo o que ouve estas minhas palavras e as põe em prática pode ser comparado a um homem sensato, que construiu a sua casa sobre rocha.

E continuando o Senhor continua: Caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos; precipitaram-se contra esta casa, e ela não desabou, pois seus fundamentos assentavam-se na rocha.

Em que lugar você construiu a sua casa? Existem duas possibilidades: construí-la sobre a rocha ou sobre a areia. Quem constrói a casa sobre a areia é aquele que não ouve a Palavra? Não. Ouve a Palavra, mas não a põe em prática. Talvez até a saiba de cor e a tenha na ponta da língua. Pena é que não a põe em prática. Esse homem é aquele que construiu a casa sobre a areia: caiu a chuva, vieram as torrentes, sopraram os ventos; vieram dar contra esta casa e ela desabou, e sua ruína foi total. Portanto, cuide para que a sua casa não caia. Procure edificar a sua casa sobre Jesus e a sua casa nunca cairá. Venha o que vier e de onde vier ela estará segura para sempre.

Pai, não permitas que eu professe minha fé no Senhor Jesus apenas com palavras. Seja minha vida uma expressão consumada da minha fé.

Padre Bantu Mendonça

Fonte: Retirado do Blog do padre Bantu


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Novembro

40%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários