31 jul 2010

É preciso falar com Jesus e de Jesus

O Evangelho de hoje nos diz que, naquele tempo, a fama acerca de Jesus e daquilo que Ele fazia havia se espalhado para todos os lugares e pessoas. Inclusive, esta fama caiu nos ouvidos de Herodes por parte de seus servidores que lhe contaram sobre a pessoa e as obras de Cristo.

Do povo simples aos mais altos postos da sociedade – especialmente o rei – todos estavam por dentro do assunto: a pessoa e os feitos de Jesus Cristo na vida das pessoas.

O que mais me impressiona é fato de que só falamos – com mais propriedade, a ponto de comover as pessoas – quando falamos daquilo que está no coração, depois de uma profunda experiência vivida. Para dizer que a grande maioria das pessoas não estavam diante de uma simples notícia, mas de uma realidade que elas haviam vivido com aquela Pessoa, que as havia marcado, no caso, Jesus Cristo.

Onde estão, hoje, as pessoas – a começar por cada um de nós – que não estão falando mais de Jesus, a ponto de causar uma curiosidade e uma vontade enorme nos outros, a ponto de também quererem conhecê-Lo? Muitos ainda não fizeram uma experiência de Nosso Senhor Jesus Cristo não porque sejam pessoas más; pelo contrário, não existe pessoa má, existem pessoas com atitudes más, o que é bem diferente. Estas ainda não fizeram uma experiência de Jesus, porque ainda não falamos d’Ele para elas; não O anunciamos ainda. E por que não anunciamos o Senhor muitas e muitas vezes? Porque ninguém fala daquilo que não está no coração. Isso é seriíssimo!

O mesmo Cristo que passava na vida das pessoas, este mesmo Jesus está vivo, ressuscitado e continua a passar pela vida de cada um de nós; aliás, muito mais que passar, Ele encontra-se dentro de cada um de nós. Os servidores de Herodes falaram do Senhor – deram a notícia, a Boa Nova – porque Cristo estava dentro dos seus corações. Por isso, Herodes ouviu falar d’Ele, independente de não ter entendido nada, a ponto de falar tamanha bobagem, dizendo que Jesus era João Batista, que havia ressuscitado e, agora, era outro: Jesus Cristo.

Vamos falar de Jesus de modo que desperte nas pessoas – a começar por aquelas que estão mais próximas de nós – uma vontade imensa de querer conhecê-Lo e, consequentemente querer segui-Lo. Mas para que possamos falar de Cristo é preciso, antes, falar com Ele, ou seja, sermos íntimos d’Ele, apaixonados por Ele, pois a gente fala daquilo que o coração está cheio.

Falar em Jesus, capaz de tocar as pessoas, é falar a partir daquilo que está dentro, no coração e não somente na ideia, no conhecimento. Não falamos mais do Filho de Deus, muitas e muitas vezes, pois só se fala daquilo que se conhece e se ama. Sejamos servidores do Evangelho, de Jesus Cristo, levando-O a todos os que ainda não O conhecem.

Padre Pacheco

Comunidade Canção Nova

Comentários