21 maio 2016

Deus tem compaixão de nossos sofrimentos

Oremos para que Deus acalente nosso coração quando o sofrimento bater à nossa porta, quando vier ao nosso encontro

Se alguém dentre vós está sofrendo, recorra à oração. Se alguém está alegre, entoe hinos” (Tg 5, 13).

 

Na alegria, na tristeza, na saúde ou na doença, em tudo devemos direcionar o nosso coração para Deus. Primeiro, com o sofrimento, pois nenhum de nós está imune a ele, pois estes vêm à nossa vida de diversas ordens e maneiras. Nem dá para ficar catalogando as diversas formas de sofrimento, o mais importante é que, em cada momento que ele bater à nossa porta, possamos nos revestir da serenidade e sobriedade evangélica.

Nem sempre é fácil, porque o sofrimento deixa o coração atormentado e em agonia, exige respostas. Muitas vezes, a resposta é a paciência, tão difícil de ter, porque ela não se compra, não se vende, mas se busca no coração de Deus por meio da oração.

Oremos, meus irmãos, para que o Senhor acalente o nosso coração quando o sofrimento bater à nossa porta, quando vier ao nosso encontro. Aquilo que vem também vai, mas o mais importante é saber enfrentar a realidade quando ela vem. Se não passarmos pelo sofrimento de forma sóbria, ele acarretará tantos outros sofrimentos e desgastes para nossa vida!

A oração é um excelente bálsamo, o melhor remédio e terapia! É claro que existem outros remédios que nos ajudam a cuidar dos sofrimentos da vida, mas não viva nenhum sofrimento sem o transformar em oração e entrega a Deus.

Chamo à atenção para que nos lembremos também de todos aqueles que sofrem no corpo, na alma e no espírito. Tenhamos paciência, misericórdia e compaixão com os que sofrem, assim como o Senhor tem compaixão de nossos sofrimentos.

Precisamos ser consolo, conforto para o sofrimento do outro, e não causa de peso no sofrimento das pessoas. Outra graça muito importante é sabermos recorrer aos cuidados da Igreja. Por isso, a Palavra de Deus está dizendo: “Se alguém dentre vós estiver doente, mande chamar os presbíteros da Igreja, para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor” (Tg 5, 14).

O óleo dos enfermos não é o óleo da morte, mas o santo óleo da vida! Por isso, em situações onde a doença causa preocupação, a Igreja está em comunhão com todos aqueles que sofrem.

Não deixe de procurar a Pastoral da Saúde, o sacerdote da Igreja, porque, no Corpo de Cristo, que é cada um de nós, estando bem ou enfermo, Cristo está conosco.

Quero lembrar a todos que é nosso dever e obrigação recorrer, nas enfermidades, às bênçãos, à graça e à unção divina! Não podemos deixar de lembrar que, na prosperidade, precisamos ser gratos, não nos deixarmos ensoberbecer. Que tenhamos um coração que saiba agradecer, por isso, a importância de cantar hinos espirituais, louvar e exaltar o nome do Senhor quando passamos por momentos de felicidades, alegrias, vitórias e conquistas.

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do padre Roger


Comentários