28 fev 2016

Deus deseja que produzamos frutos

Deus deseja que possamos dar muitos frutos, Ele não quer que sejamos estéreis

“Mas se vós não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo” (Lc 13,3).

A Palavra de Deus, hoje, fala ao nosso coração que as desgraças, tragédias e tantas situações inusitadas que acontecem no mundo não são castigo nem iniciativas do coração de Deus.

Se acontece um acidente e morre uma pessoa ou duas, mas uma sobrevive, não é que esta seja mais santa que as outras que morreram naquela situação. Não é porque um avião caiu e você não estava nele, que você é melhor do que aqueles que morreram naquele acidente. Na verdade, você teve uma oportunidade a mais para rever sua própria vida.

É verdade, sim, que a bênção de Deus, quando nós a invocamos, quando pedimos “Senhor, livrai-nos do mal!”, o fazemos com fé, para que ela nos acompanhe. Mas aqueles que, de alguma forma, foram vítimas de uma tragédia ou de algum acontecimento drástico na humanidade, não são vítimas de um castigo divino. Ao contrário, o olhar que Deus tem sobre a humanidade é de misericórdia.

Não é Ele quem determina o que vai nos acontecer. O Senhor deu aos homens a capacidade de cuidar e direcionar a própria vida. Ele pode nos livrar, pela nossa fé, de algumas situações, mas a verdade é que, quando situações trágicas chegam, o coração humano já se acostumou a culpar Deus: “Por que, meu Senhor? Por quê?”. Ele é quem mais sofre quando os dissabores humanos chegam, quando acontecem situações que doem, apertam o coração.

Deus não queria que fosse assim, nós é quem cuidamos da vida para que ela aconteça. Alguém está construindo um prédio e toda a inteligência, toda a capacidade tem de ser usada para que desastres e acidentes não aconteçam. Depois que se investiga, percebe-se que houve tantas falhas humanas, houve essa ou aquela negligência em toda situação; às vezes, é mais fácil não olhar as falhas humanas e atribuir a culpa a Deus.

Saibam de uma coisa, independente do tempo que temos de vida, de tal situação ter ou não acontecido, aproveitemos bem o tempo.

Para Deus, o tempo bem vivido, seja três, 30, 50 ou 60 anos de vida, o que vale é a intenção de se converter a cada dia. O que Deus deseja é que possamos dar muitos frutos, que não sejamos pessoas de vida estéril na produção dos frutos da vida.

Não adianta viver 60, 80, 90 anos, e vivermos na esterilidade e não produzir frutos de santidade. Dói demais ver qualquer jovem morrer! Mas muitos deixam um exemplo de vida, e nós, que muitas vezes vivemos tanto tempo, não sabemos produzir frutos. Eu não sei quanto tempo de vida nós temos pela frente, pode ser que tenhamos o hoje e o amanhã, pode ser que tenhamos ainda muito tempo pela frente, mas não percamos tempo, a hora é agora de produzir frutos e não deixar a vida passar de forma inútil.

Deus abençoe você!

Veja a reflexão do dia de hoje:

 

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do Padre Roger


Comentários