13 Jul 2012

Deus converterá em bem todos os sofrimentos que suportamos

Na leitura de hoje, Mateus nos mostra que a vida prometida a nós por Jesus não é somente de prazeres, mas, antes, uma vida também marcada por tribulações quando assumimos a condição de discípulos e missionários de Cristo no mundo moderno.

O apóstolo também nos lembra que os discípulos não terminarão o seu trabalho sem que venha o Filho do Homem.

Sob o ponto de vista do que nos é proposto neste texto, concluímos que todo o sofrimento só será aceito, por Deus, quando for por amor a Jesus: “Por serem meus seguidores, vocês serão levados aos governadores e reis para serem julgados e falarão a eles e aos não-judeus sobre o Evangelho”. Portanto, as tribulações, por amor a Jesus, não são motivos de tristeza, mas sim de alegria, sabendo que fomos destinados a isto: “Vocês serão presos, levados ao tribunal e serão chicoteados nas sinagogas”. Essa alegria não vem do fato de o cristão “gostar” de ser perseguido ou de ser reputado mártir, mas pelo testemunho que dá e pelo galardão que se segue.

Sofrimentos suportados com paciência por um cristão servem de exemplo e testemunho para toda a Igreja. O apóstolo Pedro emprega sete vezes as palavras “sofrer” e “sofrimento” com referência a Cristo, encorajando os cristãos a seguirem o exemplo de Jesus.

Sofrer é a escola de simpatia do Espírito Santo, onde aprendemos a consolar e a confortar as pessoas da mesma maneira que Deus o faz. Somente quem enfrentou a dor e as perdas pode, genuinamente, consolar os que passam por tais situações (cf. Hb 4,15).

O sofrimento é o meio usado pelom Senhor para nos fazer crescer na fé. Pedro diz que o padecimento é comparado à ação do fogo, como um elemento purificador que torna o objeto aprovado, aperfeiçoado, confirmado.

Quando passarmos pelo sofrimento, devemos nos lembrar que o Senhor está conosco e não permitirá que soframos além do que podemos suportar. Ele converterá em bem todos os males e perseguições sofridas por aqueles que O amam e obedecem aos Seus mandamentos. Ele se importa conosco, independente da severidade das circunstâncias.

Nunca devemos permitir que o mal nos leve a pensar que Deus não nos ama nem deixar que ele nos afaste de Jesus (cf. Mt 13,20-21). Devemos recorrer ao Senhor em oração sincera, esperar até que Ele nos liberte da aflição e confiar que o Pai nos dará a graça para suportar a aflição até chegar o livramento. Convém lembrar sempre: “somos mais do que vencedores por aquele que nos amou” (cf. Rm 8,37; Jo 16,33).

Padre Bantu Mendonça

Novembro

47%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.