02 nov 2016

Desejemos a vida eterna

O Pai preparou uma morada para cada um, e a vontade d’Ele é que todo aquele que veja o Filho, creia e tenha a vida eterna

Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda a pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia (João 6, 40).

 

Hoje é dia de celebrarmos os fiéis falecidos, todos aqueles que já partiram para a eternidade. Para alguns um dia de dor, para outros um dia de saudade, de boas lembranças, talvez um dia que bata tão forte ao nosso coração, que gere um vazio e uma incerteza; há uma falta muito grande da pessoa que se foi em nós.

A morte é um mistério na vida de cada um de nós. Não encaramos mistério no sentido daquilo que é misterioso, onde ninguém sabe o que será e nem como será. É a própria fé que nos faz penetrar na beleza de um mistério tão sagrado: o mistério da morte.

É através da morte que temos um encontro pessoal e definitivo com Deus. Aqui na terra caminhamos na presença de Deus e Ele caminha conosco, mas é na morte que fechamos os nossos olhos e acordamos para a eternidade.

Deus nos quer no céu, e o preparou para nós! Queremos que os nossos que já faleceram estejam também no céu, porque o Pai preparou uma morada para cada um, e a vontade d’Ele é que todo aquele que veja o Filho, creia e tenha a vida eterna, pois o Filho na ressurreição final há de ressuscitar a cada um.

Não podemos abrir mão do nosso lugar no céu, precisamos aqui na terra tomar posse dessa verdade definitiva, última e maravilhosa da nossa vida.

Hoje, não é um dia de tristeza e nem de velório, ainda que a morte represente uma certa tristeza, por tudo aquilo que ela possa significar de saudade e perda. Cremos e vivemos da fé, que nos coloca de pé, para cima e nos dá a certeza de que Cristo venceu a morte e todo aquele que morre com Ele, ressuscita para viver junto d’Ele no céu.

Hoje é dia de fazermos comunhão de fé, de amor, de esperança e certeza de que o céu tem muito mais para nós. Caminhamos num vale de lágrimas, e por mais que a vida aqui na terra tenha um sentido, um valor sublime, estamos passando por ela. Mas não podemos nos esquecer para onde estamos indo, não podemos nos esquecer que fomos feitos para o céu, para a eternidade. Lá onde Deus pode enxugar nossas lágrimas e nunca mais haverá dor, fome, morte, tragédia… Nunca mais haverá morte porque seremos um só com Deus, e Ele será uma realidade única e eterna na vida de cada um de nós!

Aspiremos e desejemos o céu, façamos da nossa vida o início da nossa eternidade. A morte não pode ser para nós uma realidade obscura de medo,  pavor e pânico. Que isso fique para os descrentes, para aqueles que não conhecem o Senhor da Vida.

Para aqueles que creem em Jesus, para aqueles que colocam n’Ele sua fé, sua confiança, sua esperança, a morte não é o fim, mas é a passagem, a porta que se abre para cada um de nós para a eternidade!

Rezemos no dia de hoje, pelos nossos irmãos que já partiram, eles precisam de nossa intercessão amiga para a purificação que ainda faltou de seus pecados. Por isso, no dia de hoje, lembremos sobretudo as almas daqueles fiéis que padecem no purgatório e necessitam da nossa oração fraterna. É a nossa comunhão, Igreja militante, que caminha na terra com a Igreja que padece no purgatório em vista da Igreja que já triunfa no céu.

Oremos por nossos irmãos que já se foram e caminhemos na santidade, porque quando chegar o nosso dia caminharemos também para o céu, pois é lá que o Pai nos espera!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários