13 jun 2016

Combatamos o mal com o bem

Precisamos de cristãos “desconcertando” o mundo, porque o mundo precisa ser desconcertado da maldade que está injetada nele

Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!” (Mateus 5, 39).

Os antigos levavam muito em conta a Lei do Talião. Quando digo “antigos”, refiro-me aos povos mais antigos, porque é uma das leis mais antigas de que temos conhecimento.

Segundo essa Lei, quando uma pessoa lhe arrancava um dente, você tinha o direito de lhe tirar também um dente. Se a pessoa lhe batesse numa face, você também tinha o direito de bater na face dela; ou seja, é uma Lei que, num primeiro momento, parece até ser justa, pois se alguém nos fez alguma coisa, temos o direito de fazer o mesmo com ela. Se alguém pegou isso, eu tenho o direito de pegar também; se alguém cometeu tamanha maldade comigo, eu também posso cometer com ela. Se a pessoa prejudicou algum parente meu, eu também tenho o direito de prejudicar um parente dela.

Essa mentalidade é mundana e pagã, porque quem não conhece o supremo bem ou a suprema bondade de Deus acaba misturando o mal com o bem e ainda diz: “Só fiz o que me era de direito!”. O “direito”, muitas vezes, vai até lhe assegurar isso, só não irá lhe assegurar o direito de ser cristão.

O cristão é como Cristo, que é bom. Precisamos, de fato, ser bons cristãos!

O mundo é tão mau, tão ruim e está tão estragado, porque os cristãos também estão estragados e azedos como a laranja azeda que não serve para nada. Por que isso acontece? Porque conhecemos o que é bom, justo e correto, mas deixamos o mal se misturar às nossas atitudes.

Você já curtiu nosso Facebook?

Se uma pessoa nos fez mal, não devemos praticar o mal, porque somos do bem e não nos misturamos com ela. Não é que sejamos melhores do que ela ou porque somos bobinhos, porque quem é cristão é uma pessoa “bobinha”. É o contrário, porque o cristão é uma pessoa sadia ou deveria procurar ser, não se mistura com o mal.

Se, por um lado, uma pessoa nos dá um tapa, que é uma coisa ruim, errada e ninguém têm o direito de bater em ninguém, a nossa outra face chama-se perdão e misericórdia; jamais vingança. Se uma pessoa nos prejudica, não temos o direito de prejudicá-la. A nossa resposta deve ser: “Deus o abençoe!”.

Deixe-me dizer a você: pode ser que pareçamos bobos, mas é o contrário: quando retribuímos o mal com o mal inflamamos mais ainda a maldade e suscitamos outros gestos. Agora, quando a pessoa nos faz mal e podemos retribuir com o bem, desconcertamos aquela pessoa. Precisamos de cristãos “desconcertando” o mundo [retribuindo o mal com o bem]; porque o mundo precisa ser desconcertado da maldade que está injetada nele.

O jeito de desconstruir o mundo e muitas pessoas é deixando-as sem graça, sem jeito. E não tem melhor opção de deixar uma pessoa sem jeito do que fazendo o bem a ela quando ela merecia somente o mal.

Deus abençoe você!

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do padre Roger


Comentários