21 dez 2011

Com Maria, Deus visita a sua casa neste dia

Quando a Virgem Maria ouve do anjo que sua prima Isabel está grávida de seis meses, ela “pôs-se a caminho para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente”. Vemos aí a subida de Nossa Senhora ao monte onde estava a cidade de sua prima. Para o judeu, o monte é sempre um lugar de oração. No Antigo Testamento encontramos dois belos exemplos de oração no monte: Moisés e Elias.

Ainda que o objetivo principal da Santíssima Virgem não fosse o de orar, não podemos imaginar que ela não reservasse largos momentos para sua oração, para seu encontro pessoal, a sós, com o seu Menino-Deus, enquanto ajudava sua prima. Também na passagem da Transfiguração não está explícito no texto que Jesus subira para orar, mas é claro que Ele leva Seus discípulos a um lugar à parte para rezar. Está implícito. Subentendido. E você? Também tem reservado seus momentos para “subir ao monte” e rezar?

“Maria entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel” e esta, “repleta do Espírito Santo, grita: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?”. Naquele momento, Isabel tem o mesmo sentimento dos apóstolos: “É bom estarmos aqui!” Ela e João, bem como seu marido Zacarias, são beneficiados com a visita de Maria, que traz Jesus.

Um outro ponto interessante é podermos associar as figuras de Moisés e Elias, que conversam com Jesus, na Transfiguração, com a de Zacarias e João Batista. Este foi o último dos profetas e apontado pelo próprio Cristo como figura de Elias. O sacerdote Zacarias exercia sua função no Templo oferecendo sacrifícios e intercedendo pelo povo como fazia também Moisés, embora não existisse o Templo.

Na Transfiguração, Pedro propõe: “Façamos três tendas, uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. Na Visitação, Deus havia providenciado três tendas: A primeira era a própria casa de Zacarias. A segunda era o ventre de Isabel que abrigou João Batista, e a terceira, o ventre de Maria, que recebeu Jesus. Vemos nas três um certo crescimento em ordem de construção: A primeira a casa fora feita por mãos humanas; a segunda, o ventre de Isabel, a primeira mulher grávida que recebe o Espírito Santo pela visita de Jesus no seio de Maria; e, por fim, a própria Maria, a Imaculada, a concebida sem pecado, foi a tenda perfeita para Jesus.

Maria, com efeito, é venerada na Ladainha com o título de “Casa de Ouro”. Zacarias, João Batista e Jesus também podiam, cada um a seu modo, dizer: “É bom estarmos aqui!” “Este é um lugar seguro, pois aqui habita Deus!” E para você? Será que sua casa é um lugar seguro, onde Deus faz sua morada?

Da nuvem luminosa saiu uma voz que disse: “Este é o meu Filho amado em quem pus toda minha afeição, ouvi-o” ou “Este é o meu Filho bem-amado, aquele que me aprouve escolher. Ouvi-o” (cf. as traduções da Ave-Maria e TEB, respectivamente). Há uma diferença, embora sutil, entre as duas traduções, mas somente nos lábios de Nossa Senhora podemos colocar estas mesmas palavras vindas do Pai, dirigidas ao Filho, inspiradas pelo Espírito Santo: “Este é o meu filho muito amado, aquele em quem ponho toda a minha afeição e a quem eu disse ‘sim’ para que Ele fosse gerado. Eu o escolhi. Ouvi-o”. “Fazei tudo o que Ele vos disser” (cf. Jo 2,5), completaria ela em Caná da Galileia.

Depois destas leituras e meditações, já não temos muitas razões para orar e contemplar? Faça, então, você mesmo sua oração, você que é templo do Espírito Santo (cf. I Cor 6,19). Glorifique o Senhor pelas maravilhas que Ele faz em sua vida. Se quiser, inicie com o cântico de Maria, o Magnificat em Lc 1,46-55. Mas deixe-se conduzir pelo Espírito!

Para sua contemplação, sugiro que “pinte” mentalmente um ícone com os seguintes personagens: Maria grávida de Jesus, ao centro. Isabel, exultando no Espírito com a visita, tendo o pequeno João Batista “pulando” de alegria no seu ventre. No outro lado, o mudo sacerdote Zacarias em atitude de respeito e adoração àquela divina presença em sua casa. Uma nuvem luminosa do Espírito Santo envolvendo todo o ambiente em que se encontram e acima de todos um triângulo representando a voz do Pai. Permaneça em silêncio por um bom tempo, contemplando este lindo mistério de uma visita transfigurada do Senhor.

Padre Bantu Mendonça

Comentários