03 Oct 2017

Acendamos em nós o fogo da graça

Para que tenhamos Deus e possamos viver na graça, repreendamos o fogo do mal e deixemos que o fogo da graça esteja aceso em nós

“Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los? Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os” (Lucas 9, 54).

A atitude dos discípulos de Jesus, sobretudo Tiago e João, pedindo que descesse fogo do Céu para destruir aquele povoado dos samaritanos, mostra um coração humano sedento de vingança, ressentido, magoado, porque não foram acolhidos, recebidos nem amados como esperavam ser.

Assim é também a atitude do nosso coração humano quando não somos acolhidos nem amados, quando não somos correspondidos naquilo que nós queremos, sobretudo, quando somos desprezados.

Ao longo da nossa história, passamos por tantas situações em que queríamos ser amados, mas não o fomos suficientemente; pelo contrário, muitas vezes, somos até rejeitados, traídos, magoados e machucados onde esperávamos o melhor.

O contrário também acontece, pessoas também ficam magoadas, chateadas conosco quando esperam de nós melhores atitudes, mas não demos o melhor de nós.

O que nasce no coração humano? Um fogo. Primeiro um foguinho, depois, esse fogo cresce, e, assim, a mágoa, o ressentimento e o rancor. À medida que esse fogo é cultivado, ele se torna ódio, um sentimento muito negativo. Sai até fogo da nossa boca quando estamos com raiva de alguém, quando estamos magoados, ressentidos ou odiando alguém! Sai um fogo de destruição da nossa boca; e, muitas vezes, estamos lançando esse fogo uns contra os outros, falando o mal, disseminando o mal, estamos como verdadeiras labaredas de fogo disseminando a nossa vingança, o nosso ressentimento ou a nossa mágoa para com o outro.

Qual é a atitude de Jesus senão repreender Seus discípulos? Na verdade, Ele repreende não os discípulos pelos discípulos, mas a atitude deles, o sentimento de vingança deles, repreende aquilo que eles estão cultivando dentro do coração.

Jesus está nos dizendo: é preciso repreender esse sentimento e esse fogo que temos dentro de nós, que é destruição do próximo. É preciso repreender a mágoa, o ressentimento e o ódio que, muitas vezes, cultivamos dentro de nós, porque não só destruímos o outro, mas destruímos nós mesmos, nossa convivência cristã, nossa relação com Deus e a nossa pureza.

O fogo que precisamos dentro de nós é o fogo do Espírito, e não o fogo do ódio, da mágoa ou do ressentimento. Precisamos repreender esse fogo, porque ele é do inferno, é maldito e, muitas vezes, está aceso dentro de nós, clamando dia e noite, tirando o nosso sono, a nossa paz, alimentando fantasias e devaneios dentro de nós, colocando-nos uns contra os outros.

Para que tenhamos paz, para que tenhamos Deus e possamos viver na graça, repreendamos o fogo do mal e deixemos que o fogo da graça esteja aceso em nós.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Novembro

40%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários