07 jan 2017

A mãe de Jesus caminha conosco

A mãe de Jesus caminha conosco, quer estar presente em nossa vida todos os dias

“Houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente.” (João 2,1)

A narração das Bodas de Caná remete-nos à primeira graça de Cristo e a Sua manifestação à vida pública. João traz, neste Evangelho, um milagre, aponta-nos uma primeira direção, ele diz que a Mãe de Jesus estava presente. João cita Jesus e Seus apóstolos.

Não é que a Mãe de Jesus seja mais importante que Ele, de forma nenhuma, mas a mãe antecede o filho. Para Jesus nascer, Sua Mãe veio primeiro e deu a graça de sua humanidade manifestar-se entre nós.

Não há disputa de importância; muito pelo contrário, Deus é Deus e Maria é Sua serva, mas serva para ser protagonista da graça que Ele quer manifestar.

João Batista veio primeiro que Jesus, preparou os caminhos. João não era mais importante que Jesus, mas tinha o seu protagonismo: aquele que prepara e abre as portas.

O apresentador de um espetáculo não é mais importante que um espetáculo, mas é importante para preparar as pessoas para aquele espetáculo. Maria não é mais importante que a graça, mas é portadora dela. Por isso, João faz questão de nos mostrar que Maria está no princípio da vida de Jesus.

Depois, João vai nos trazer Maria na consumação das obras de Jesus, porque ela vai estar novamente aos pés da cruz. Maria faz parte dos desígnios de Deus do começo ao fim, é uma mãe presente, ainda que fisicamente não a percebamos em todos os fatos relacionados a Jesus. Mas não há um só acontecimento, um só dia da vida de Jesus que o coração da mãe não estivesse presente.

Quem é mãe sabe como o coração de uma mãe acompanha o coração do seu filho, onde quer que ele esteja. Quando está distante, a mãe se faz mais presente ainda. Rezando, intercedendo, unindo-se de coração e com amor.

Podemos saborear, aqui, a graça da presença amorosa de Maria na vida de Jesus. Ela estava no princípio, quando Jesus foi anunciado pelo anjo; agora, na Leitura de João, Maria nos é mostrada como aquela que está presente no início da Sua vida pública.

Irmãos, não ignoremos a presença da Mãe no meio de nós. O Evangelho não precisa, em todos os momentos, citar o nome dela, basta que, no início do Gênesis, seu nome esteja e, no último livro do Apocalipse, ela se faça presente. Basta ver que no princípio da vida pública de Jesus ela está e é a primeira a ser anunciada.

No momento crucial, ela é a mãe que se faz presente. Maria caminha conosco, quer estar presente em nossa vida todos os dias de nossa vida. É uma questão de reparar, acolher e amar. Ou uma questão de ignorar, de não se achar necessário, de ser indiferente.

Eu sei que minha mãe caminha comigo onde quer que eu esteja, presente ou distante. Eu sei que a mãe de Jesus se faz presente na minha vida, eu a reconheço como mãe. Onde quer que eu esteja, a quero caminhando comigo!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: mailto:padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários