05 Apr 2019

A luz de Deus ilumina as trevas do nosso coração

Não apaguemos a luz de Deus, não deixemos que o nosso coração continue andando nas trevas

“Então, queriam prendê-lo, mas ninguém pôs a mão nele, porque ainda não tinha chegado a sua hora” (João 7,10).

Jesus percorria a Galileia e evitava andar na Judeia, porque os judeus tentavam matá-Lo. Jesus incomodava e ainda incomoda, e tudo aquilo que é incômodo queremos tirar da nossa vida, porque ninguém quer ser incomodado.

Se não formos incomodados por Deus, permaneceremos no comodismo espiritual, no comodismo da fé, de não nos preocuparmos uns com os outros. Nada de religião soft, aquela religião onde só queremos viver a leveza e o afago da alma.

Jesus veio para nos sacudir e nos mostrar onde estamos errando e pecando, mas não é para nos acusar; pelo contrário, é para nos libertar. Aquele que vive na retaguarda, no sentimento de defesa, toda e qualquer mínima coisa que se fale a respeito dele o coração já dispara o ataque. Não aceitamos ser corrigidos, não aceitamos ser cuidados, preferimos deixar que a vida percorra o seu caminho e achamos que temos sempre a razão.

Essa é a razão pela qual querem matar o Senhor, colocar as mãos n’Ele e prendê-Lo, pois Sua presença incomoda. A luz incomoda quem está na escuridão.

Às vezes, levantamos de manhã e alguém acende a luz, e essa luz causa impacto em nós, incomoda-nos tanto, mas não é esse incomodo o problema. O problema é o incômodo da luz de Deus, que ilumina aquilo que não queremos ver nem queremos que os outros vejam. A luz de Jesus não é para acusar, mas é para iluminar e libertar. 

Os homens preferiram as trevas do que a luz, por isso querem apagar a luz de Deus de qualquer maneira; e o jeito de apagá-la é eliminá-la.

Não apaguemos a luz de Deus, não deixemos que o nosso coração continue andando nas trevas, mas O acolhamos, amemos acima de todas as coisas, porque a Sua luz, por mais incômoda que seja, é necessária que incomode mais.

Preocupo-me quando Deus não me incomoda, quando a Sua Palavra não mexe comigo, quando ela não me tira do meu comodismo, quando ela não me leva a refletir a minha própria vida, as minhas próprias escolhas. Preocupo-me quando me vejo no meu comodismo, egoísmo e não me permito ser confrontado por Deus.

Um homem e uma mulher são verdadeiramente de Deus quando se deixam incomodar por Deus e não permanecem no comodismo espiritual, mas se deixam levantar e iluminar, para que a vida não caminhe nas trevas, mas na luz de Deus.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Comentários

Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.