07 mar 2015

A humildade nos aproxima do coração do Pai

A humildade é a graça de que nós precisamos para voltar ao coração do Pai! Peçamos a esse Pai misericordioso que nos conceda a graça de um coração arrependido.

Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho” (Lucas 15, 21).

Amados irmãos e irmãs em Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, nós hoje temos a graça de partilhar a Parábola do Filho Pródigo. Na verdade, eu gosto mais de olhar essa parábola a partir do pai, porque, na verdade, o grande pródigo é mesmo o pai: é ele quem esbanja amor, misericórdia, bondade e doçura.

O filho, que morava com o pai, reclama a sua parte na herança. E como podemos entender a herança que o filho pede ao pai? É o desejo de liberdade. É como se ele dissesse: “Pai, permita-me fazer o que eu quero, permita-me ser como os outros, permita-me ir para o mundo, viver o que eu tenho vontade de viver e fazer!”.

O grito que bateu no coração daquele filho é o grito que, muitas vezes, bate também no coração de cada um de nós: o desejo e o anseio pela autonomia, pela liberdade e, muitas vezes, até a vontade de viver o que o mundo vive. Muita gente que é de Deus, algumas vezes, se cansa de ser diferente; às vezes, sente a tentação de que é preciso viver no mundo como todos vivem. Nós não somos melhores do que ninguém, mas estamos na casa do Pai!

É o mundo largo, com propostas, tentações e aberturas, ao qual, muitas vezes, sucumbimos com um tremendo chamado dentro de nós. Quantos filhos estão longe dos seus pais; quantos maridos vivem a experiência de ser pródigos, deixam seus filhos, sua esposa e vão viver no mundo como querem.

Eu, muitas vezes, digo: temos que fazer de tudo para manter os nossos ao nosso lado. Mas chega um tempo em que, muitas vezes, é preciso deixá-los e lhes dar aquela mesma liberdade que o pai deu para o filho. É verdade que nem todo filho pródigo volta, pois muitos filhos partiram para longe da casa de Deus e não voltaram. É óbvio que o coração do Pai está aberto e sempre espera que o filho volte.

Se nós fizemos a experiência de ir para longe dos braços e do colo de Deus, que bom que voltamos! É importante pedirmos a graça de Deus para permanecermos firmes, mas se nós estivermos longe do Senhor será preciso pedir a graça d’Ele para voltar ao Seu coração. E aqui “voltar” não significa somente voltar a frequentar a igreja. Nesta passagem bíblica, a primeira coisa que o filho pediu ao pai foi perdão, foi um reconhecimento sincero de que ele fraquejou, que ele desperdiçou, que ele mesmo colocou a sua vida em risco. Ele mesmo diz: Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho” (Lucas 15, 21).

A humildade é a graça de que nós precisamos para voltar ao coração do Pai! Peçamos a esse Pai misericordioso que nos conceda, neste tempo da graça chamado “Quaresma”, a graça de um coração arrependido, sincero, humilde para que sejamos novamente acolhidos nos braços d’Ele.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

https://www.facebook.com/pe.rogeraraujo/?fref=ts

Comentários

Outubro

51%

Confira a revista deste mês
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.


  • Comentários