13 fev 2016

Somos necessitados da cura e do amor divino

Somos doentes e precisamos muito da cura e do amor divino em nós

“Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes.” (Lc 5, 31)

Os fariseus e mestres da lei estão murmurando, reclamando, incomodados, porque os discípulos de Jesus estão comendo com cobradores de impostos e pecadores. Jesus chamou Levi, que era um grande cobrador de impostos, que tanto mal fez às pessoas, para fazer parte do Seu grupo, para fazer parte da Sua companhia.

Meus irmãos, a primeira coisa que temos de colocar na nossa consciência cristã é que não somos melhores que ninguém. Às vezes, havia na tradição cristã, um pensamento muito errôneo que nos fazia sentir melhores ou mais importantes do que os outros. Houve, em todas as épocas da tradição cristã, a teoria da predestinação, onde somos predestinados a ser os melhores, e os outros não são escolhidos.

No coração de Deus, somos todos pecadores, todos miseráveis e devedores de Deus. E quanto mais pobres e pecadores formos, mais ainda escolhidos, amados e preferidos por Deus seremos.

O fato é que, porque nascemos em uma família cristã, porque Deus nos alcançou em algum momento de nossa vida, por frequentarmos a Igreja, as celebrações e os cultos, isso, muitas vezes, enche nosso pensamento e o nosso coração do orgulho e vaidade.

A vaidade apostólica é aquela que nos deixa envaidecidos com o que somos, com o que fazemos e pregamos, com os títulos que nos dão, os aplausos que recebemos. Pior ainda, quando nos fazem sentir melhores do que os outros, mais importante do que outras pessoas. Ainda somos capazes de dizer: “Ali estão os pecadores!”. Nós não vamos ao encontro deles, fechamo-nos nos guetos onde parece que só os santos, só os eleitos podem entrar.

O que acontece é que Deus sai das nossas rodas, sai do meio de nós e vai ao encontro das periferias da vida, daqueles que ninguém quer saber. O que acontece é que Deus tem uma opção amorosa por aqueles que são doentes, pecadores e necessitados da Sua misericórdia. Por isso, precisamos ser os primeiros a necessitarem, a quererem e saberem que nós realmente somos doentes e precisamos muito da cura e do amor divino em nós. Outra coisa: nunca rejeitemos ninguém nem nos sintamos melhores do que ninguém, porque só Deus conhece os corações.

Que o nosso coração seja tão misericordioso como é o coração do Senhor.

Deus abençoe você!

Veja a Reflexão da Quaresma para o dia de hoje.

repensando-a-vida

Adquira em nossa Loja Virtual o livro do Padre Roger


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

.

Comentários