29 jul 2016

Deus conduz tudo o que realizamos

Se deixarmos que Deus conduza tudo o que fazemos, saberemos que tudo será feito na bênção, na graça e na proteção divina

“Marta, Marta, tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas; porém, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a melhor parte, que lhe não será tirada” (Lucas 10, 41-42).

 

A Igreja nos dá, hoje, a graça de celebrarmos Santa Marta, a irmã de Maria (da região de Betânia) e Lázaro. Talvez possamos questionar: “Por que ela é santa, se Jesus lhe chamou e disse que foi sua irmã, Maria, quem escolheu a melhor parte e esta não lhe seria tirada?”. A verdade é que tanto Marta quanto Maria serviram ao Senhor, eram amigas d’Ele. Marta, a irmã mais velha, como dona de casa, era a mais prestativa, cuidava de seus afazeres e assim por diante.

A Palavra de Deus é maravilhosa! E o que parece repreensão é, na verdade, correção. O que pode parecer um descarte, na verdade, é um resgate.

Deus não estava tirando o que Marta tinha, o dom de ser prestadora, acolhedora e amigável; Ele estava acrescentando algo à vida de Marta, pois, além daquilo que ela fazia, precisava acrescentar o mais necessário. Além de ser tão acolhedora como era, ela precisava ser tão adoradora, tão de oração, como sua irmã se mostrou ali, atenta às coisas do céu.

Todos nós precisamos ser, em nossa vida, como Marta e Maria! A verdade é que não podemos nos ocupar somente com nossos afazeres, com nossos trabalhos, obrigações e compromissos, mas precisamos fazê-los bem.

Precisamos limpar a nossa casa, ordenar nossa vida, cuidar das nossas coisas, mas precisamos, de igual modo, dedicarmo-nos à oração, ouvir a Palavra de Deus, dar atenção ao Senhor e saber que esse é o tempo mais necessário. Termos total consciência de que o tempo gasto com a oração, com a escuta da Palavra, não é perdido, mas é o tempo mais bem aplicado e precioso para a nossa vida. É Deus quem vai direcionar, abençoar, iluminar e conduzir todo o resto do nosso tempo para que não nos percamos!

Não podemos ser somente pessoas de oração. Por mais que sejamos pessoas orantes e dedicadas a Deus, por mais que você sejamos consagrados, monges, freiras, religiosos, não podemos viver somente de oração.

São Bento, em sua regra, foi muito claro: ora et labora – ora e trabalha. Oração e trabalho caminham de mãos dadas. Nosso viver cotidiano precisa ser assim também, não podemos ser o extremo da oração nem o extremo do trabalho. Temos que saber ponderar tudo aquilo que fazemos.

Se deixarmos que Deus conduza tudo o que fazemos, saberemos que tudo será feito na bênção, na graça e na proteção divina!

Deus abençoe você!

Comentários