20 nov 2014

Você tem valorizado o amor e a presença de Deus?

Jerusalém representa cada um de nós, amados e queridos aos olhos de Deus. Mas não sabemos, muitas vezes, corresponder a esse amor. Que Jesus não precise chorar por nós!

“Naquele tempo, quando Jesus se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, começou a chorar” (Lucas 19,41).

Jerusalém é a cidade amada e bem edificada, a cidade celestial no meio de nós, porque foi o local que Deus escolheu para habitar em meio aos homens, em meio a nossa humanidade. A cidade que foi pensada, construída pelo Rei Davi têm um significado espiritual simbólico muito profundo.

Hoje, as três grandes religiões da humanidade têm em Jerusalém o seu lugar por excelência de culto. Voltando aqui para a nossa fé cristã, Jerusalém é a cidade do grande Rei, é a cidade onde Nosso Senhor Jesus Cristo ia todos os anos. Foi lá que Ele se perdeu no Templo. Mas a particularidade de Jerusalém não está aí, está no fato de não acolher, não receber, não dar valor às visitas que Deus fez a ela.

Jerusalém foi a cidade que Jesus amou por excelência, mais do que todas as outras, mas ela é o exemplo do Amor não amado, do Amor rejeitado, do Amor não querido. Jerusalém representa cada um de nós, amados e queridos aos olhos de Deus, pois não sabemos, muitas vezes, corresponder a este amor que Ele tem por nós. Porque tu não reconheceste o tempo em que foste visitada” (Lucas 19, 44).

Sabe, meus irmãos, um dia nós choraremos muito, nos arrependeremos, porque Deus tomou muitas iniciativas de nos visitar, de se fazer presente em nossa vida. Se você olhar, sinceramente, para a sua história, para sua casa e para sua família, verá quantas vezes já foi visitado por Deus, quantas vezes Ele já o marcou, já lhe disse: “Você é meu! Você me pertence!”.

Houve em Jerusalém um sentimento de rebeldia e a cidade se rebelou contra Deus. Sim, nós nos rebelamos, distanciamo-nos de Deus por qualquer coisa que pareça melhor e mais agradável. Arrumamos desculpas, culpamos as pessoas, as situações e o tempo, mas a verdade é que nós não valorizamos a visita, a presença e o amor de Deus manifestado em nossa vida.

Que Jesus não precise chorar por nós! É melhor chorarmos, ainda nesta vida, de arrependimento, de comoção, de reconhecimento por termos nos afastamos de Deus, por corremos d’Ele, por não valorizarmos Sua presença em nossa vida, do que deixar para chorar na eternidade. Aqui, na Terra, o choro ainda pode ser consolado, as nossas lágrimas podem se transformar em conversão, mas o choro na eternidade será de desespero. Deus nos visitou tantas vezes, fez-se presente em nossa vida, mas nós não O valorizamos; ao contrário, nós desprezamos o amor infinito e eterno que Ele tem por nós.

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo