07 jul 2015

Que Jesus afaste de nós os espíritos impuros

Permitamos hoje que Jesus expulse de nós os espíritos impuros, os quais vão nos machucando e nos oprimindo ao longo da vida e, desse modo, nos tornamos mudos diante da Palavra de Deus.

“Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor” (Mateus 9, 36).

 

Apresentaram a Jesus um homem mudo, possuído por um demônio e, quando o Senhor toca nele e expulsa o demônio que estava nele, este começa a falar. É o mesmo que o Senhor deseja fazer conosco.

Sabem, meus irmãos, nós, muitas vezes, ficamos calados, amuados e só falamos em muitas situações o que não deveríamos falar; e sai da nossa boca o sentimento de revolta, de ressentimento e mágoa. Contudo, quando Jesus expulsa de nós estes demônios que, muitas vezes, nos ferem e nos machucam por dentro e quando permitimos que Ele expulse de nosso interior o ressentimento, a mágoa, a decepção e a frustração e muitas outras coisas negativas de nosso interior, a libertação acontece e a nossa boca se abre para que possamos proclamar as maravilhas de Deus.

Permita-me dizer: nossa alma frequentemente se encontra muito oprimida por muitas coisas negativas. “A boca fala daquilo de que o coração está repleto” (Mateus 12, 35). Muitas vezes, nós paramos para ouvir uma pessoa e só saem coisas ruins daquela boca, tanto pessimismo, tanto negativismo, tanta tragédia e tanta maldade, de maneira que sentimos vontade de dizer: “Fale alguma coisa boa, criatura!”. Mas esta só pode falar daquilo que ela tem, e se não tem nada de bom como é que ela vai falar de coisa boa?

Jesus hoje quer expulsar da nossa alma e do nosso coração todos os espíritos que atormentam o nosso interior e nos deixam presos e amarrados a tantas coisas negativas. Precisamos proclamar o Reino de Deus com a vida e com as palavras. É preciso, em primeiro lugar, expulsar do nosso coração aquilo que não é compatível com o Reino de Deus.

Se mergulhamos muito na tristeza que nos visitou, na decepção que um dia nos magoou, na raiva que um dia nos feriu e na ferida do ressentimento que foi crescendo e se prolongando, acabaremos nos fechando às pessoas e às situações. Eu me lembro de algumas pessoas sentadas à mesma mesa que não têm nem uma palavra para dizer umas às outras, e de pessoas que se encontram e não têm o que dizer uma à outra, cujos olhos fumegam de raiva, de rancor ou de desejo de enforcar o outro.

Deixemos Jesus expulsar a raiva e o mal de nossa vida! Deixemos que Ele cure aquela mágoa terrível que vai aniquilando nossa alma e nos tornando mudos, de modo que não podemos levar ao outro uma palavra de perdão, de misericórdia ou de reconciliação.

Permitamos hoje que Jesus expulse de nós os espíritos impuros, os quais, ao longo da vida, vão nos machucando e nos oprimindo e, desse modo, nos tornamos mudos diante da Palavra de Deus. Com o toque de Jesus em nossa alma e em nosso coração, nós queremos proclamar o Reino de Deus aonde formos enviados!

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo