25 mai 2015

Que o dinheiro esteja sempre a serviço do bem e da vida

Que o dinheiro esteja sempre a serviço do bem e da vida, da igualdade, da promoção da vida e dos verdadeiros valores. E que não o idolatremos nem nos curvemos diante dele!

“Filhinhos, quão difícil é entrarem no Reino de Deus os que põem sua confiança nas riquezas” (Mateus 10, 24).

A Palavra de Deus, que vem hoje ao nosso encontro, quer nos fazer um profundo e sério questionamento: Qual é o lugar que os bens e as riquezas deste mundo ocupam em nosso coração? Porque não é o problema da riqueza e do dinheiro em si, dos bens materiais pelos bens materiais, mas o lugar que eles têm ocupado em nosso coração.

Veja, nós podemos até ser pessoas boas, honestas, justas, cumpridoras dos preceitos divinos, como era esse homem do Evangelho de hoje, mas precisamos saber a quem nós servimos, diante de quem nós nos curvamos, onde colocamos a nossa esperança, o nosso coração, nosso amor e nossos anseios.

O dinheiro é uma coisa necessária para a vida, para subsistência, para a sobrevivência a fim de que possamos agilizar as coisas de que precisamos para a nossa vida e para os nossos. No mundo em que vivemos ninguém vive sem dinheiro, mas o que não pode acontecer é vivermos somente para ele [o dinheiro], porque muitas pessoas se curvam diante do dinheiro, porque o dinheiro compra pessoas, ele vende as pessoas e manda nas relações humanas.

Aquilo que o homem viveu no Evangelho de hoje é um profundo e sério questionamento. Não é problema ele ser rico, mas sim a forma como a riqueza dá liberdade à sua vida.

Deixe-me dizer uma coisa a você: não há problema nenhum em ter dinheiro, mas há um sério problema em ser possuído pelo dinheiro, pela cobiça do ter mais e querer ser mais a partir daquilo que temos. Trabalhar honestamente, melhorar de vida, ter melhores condições para sua casa, para sua família, isso não é nenhum problema!

O problema tanto em quem é pobre como em quem é rico é medir a sua vida pelo dinheiro e pela cobiça desenfreada pelos bens. O problema está no lugar que o dinheiro ocupa em nossa vida. Quando o dinheiro nos rouba de Deus e ocupa o lugar de Deus em nosso coração, aí está a idolatria, aí está a perdição; aí está realmente a perda do sentido essencial da nossa vida.

Sirvamos a Deus de todo o nosso coração, de toda a nossa alma, com todo o nosso empenho, e trabalhemos por um mundo mais justo, mais honesto e mais igualitário. Trabalhemos para ter uma vida mais justa, digna e honesta para os nossos. Mas não sirvamos ao dinheiro e que ele esteja a serviço do bem, da igualdade, da promoção da vida, da promoção dos verdadeiros valores.

Só quem pode promover tudo isso é quem sabe usar o dinheiro para o bem e não é comandado por ele!

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo