05 set 2015

Alimentemos nossa fé e permaneçamos em Deus

É preciso uma fé consistente, uma fé madura que dia a dia vai se tornando robusta ao ponto de dizermos: ‘Eu sei mesmo em quem depositei minha fé!’

Mas é necessário que permaneçais inabaláveis e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o evangelho, que ouvistes” (Cl 1, 23).

A Palavra de Deus é um choque de ânimo ao nosso coração e à nossa vontade. A primeira coisa é permanecer inabalável. Olhamos para a nossa estrutura humana, física, psicológica, espiritual e percebemos que temos muitas fragilidades. Todos nós somos muito frágeis, suscetíveis à quedas.

Quantas coisas nos desanimam, nos jogam no chão e nos deixam prostrados. Por qualquer coisa ou talvez por uma soma de coisas ficamos fracos, para baixo e, muitas vezes, a nossa fé é abalada.

O que é necessário para se tornar inabalável na fé? Justamente alimentar as nossas fraquezas.

E quando digo “alimentar” fraquezas, não é se tornar cada vez mais frágil. É reconhecer as fraquezas que temos e alimentá-las com a graça, com o poder e com a ação de Deus; reconhecendo e entregando a Ele as fragilidades que temos. Na verdade, precisamos abastecer nossas fraquezas com a graça que vem do Alto!

Não somos nós que nos tornamos inabaláveis, é a ação de Deus em nós que vai tornando dura e resistente essa graça e disposição interior que temos. Por isso, meus irmãos, para permanecermos firmes e inabaláveis precisamos nos tornar, cada vez mais, dependentes de Deus, da Sua graça, do Seu amor, do Seu Espírito que conduz o nosso coração e a nossa vida.

Nós não podemos viver uma fé ‘mais ou menos’, não podemos viver uma fé que qualquer vento derruba, qualquer tempestade leva, qualquer enxurrada lava. É preciso uma fé consistente, uma fé madura que dia a dia vai se tornando robusta ao ponto de dizermos: ‘Eu sei mesmo em quem depositei minha fé!’ .

Deixe-me dizer uma coisa a você: alimente a sua fé. Assim como o nosso corpo, que para permanecer em pé precisa ser alimentado, para nos tornarmos resistentes a tantas fragilidades da vida, precisamos alimentar bem nosso corpo e nossa mente. Assim como uma pessoa que quer ter bons pensamentos, que quer crescer intelectualmente precisa alimentar-se com boas leituras, com uma boa formação, a fé é da mesma maneira. Alimentamos a nossa fé ou esta se torna fragilizada, vai se esvaziando e daqui a pouco, também perdemos a pouca fé que temos ou somos jogados no chão, porque não a alimentamos.

Alimentamos a nossa fé pela oração, pela intimidade, pelo contado com Deus; alimentamos a nossa fé pela leitura diária da Palavra de Deus, pela Eucaristia [o Corpo e o Sangue de Cristo] que vem realmente para incendiar a nossa fé; alimentamos a nossa fé vivendo no dia a dia da nossa vida.

Por isso, hoje, não é dia de desanimar e nenhum dia é dia de desanimar. Todos os dias são de combater o desânimo e alimentar em nós a graça da fé para nos tornarmos inabaláveis, firmes e não nos afastarmos da esperança do Evangelho. Porque, têm muitas coisas para nos afastar de Deus, mas quando alimentamos a nossa fé é n’Ele que permanecemos firmes!

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

.

Comentários

comentário(s)

↑ topo