19 Jan 2019

Jesus veio para cuidar dos pecadores

Jesus veio para os pecadores, Ele é o bom médico dos doentes, porque quem precisa do médico é o doente

Não são as pessoas sadias que precisam de médico, mas as doentes. Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores” (Marcos 2,17).

Estamos num mundo doentio e pecador, e foi nesse mundo que Deus se encarnou, que se fez presente e está no meio de nós para sarar e sanar todo mal, para curar nossas doenças e enfermidades, sobretudo, para nos libertar do poder do pecado.

Jesus veio para os pecadores, por isso Ele é o bom médico dos doentes, porque quem precisa do médico é o doente, quem precisa da salvação é aquele que está perdido. Os salvos já estão salvos, os sadios já estão sadios.

Na humildade do coração, reconhecemos, a cada dia, o mal que o pecado causa em nossa vida, porque, quando o reconhecemos, colocamo-nos em Jesus. O que tem acontecido é que, muitas vezes, chegamos a uma autossuficiência espiritual, e essa autossuficiência é muito danosa para alma, para o coração e para a nossa espiritualidade de relação com Deus. “Estou servindo Deus a muito tempo! Conheço todas as coisas de Deus e da Igreja”.

Muitas vezes, ignoramos retiros, não prestamos mais nem atenção na Missa! “Já sei o que o padre vai falar. Aquilo que ele falou, não serviu para mim”. Colocamo-nos num estado de autossuficiência espiritual, e a graça de Deus não nos atinge, porque já não a sentimos. Isso é um mal, e por isso a graça de Deus não chega, de fato, até nós.

O Evangelho é, acima de tudo, um convite à humildade do coração para nos colocarmos à mesa com Jesus.

Jesus foi à casa de Levi, Mateus, o cobrador de impostos, e sentou-se à mesa com ele. Sentando-se à mesa com ele, Jesus se sentou com outros cobradores de impostos que eram tidos como pecadores. A intenção de Jesus era dizer que Ele veio para sentar-se à mesa conosco.

Talvez podemos pensar que só os justos e santos se sentam à mesa com Jesus, mas Ele senta à mesa com os pecadores. Algumas pessoas talvez se sintam discriminadas, distantes de Deus, não podem comungar, porque vivem em pecado. A doutrina da Igreja sobre a Eucaristia não mudou, mas é preciso dizer sempre, de forma muito nova e contundente, que ninguém pode se sentir distante de Deus. Se maior for o pecado, mais próximo de Deus aquela pessoa precisa estar.

Se há algum impedimento canônico para a comunhão sacramental, não há impedimento de aquela alma se aproximar de Jesus, até porque Ele quer estar com ela. Se ela não pode receber da comunhão, ela pode receber da graça, ela pode adorar Jesus, ouvir a Palavra d’Ele, e Jesus pode entrar na vida de cada um de nós.

Podemos até comungar, todos os dias, mas nos falta a graça da humildade; recebemos a Eucaristia, mas não significa que estamos em comunhão com Deus. No entanto, muitas vezes, aquele que julgamos tão pecador, humildemente se abre com tanto amor para receber Deus e para ficar com Jesus, e Ele, com certeza, ceia com ela, fica com ela, como ficou na casa de Levi.

Ele veio para os pecadores, para os doentes. Apresentemos a Ele nossos pecados e nossas enfermidades.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Ajude a Canção Nova!

0%

Confira a ediçao especial da revista
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.