25 out 2014

Devemos ter cuidado e vigilância com a nossa vida

Devemos ter cuidado e vigilância com a nossa vida. Pior do que as tragédias e do que os acidentes é não estarmos preparados para o nosso encontro com Deus!

“Eu vos digo que não. Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo” (Lucas 13, 5).

Meus amados irmãos e irmãs, ao escutarmos o Evangelho de hoje, vamos deparar com situações bem cotidianas em nossas vidas: as tragédias e as fatalidades. Quantas pessoas morrem em acidentes de forma brusca, inesperada, seja na estrada, seja em construções e nas mais diversas situações da vida. Pessoas que passam por dramas em suas vidas; algumas pensam, questionam e até afirmam: “Será castigo de Deus!? Será que isso é culpa por eu não ter vivido de acordo com a vontade de Deus?”. Dizem ainda: “Fulano está pagando pelo pecado de outro!” E “Será que a culpa é dos pais? Será que a culpa foi da mãe, dos antepassados?”.

No Evangelho de hoje, Jesus nos esclarece que os acidentes e os incidentes da vida não são por culpa do passado de ninguém. É óbvio que há circunstâncias da vida que, às vezes, herdamos coisas do passado, mas o que sofremos hoje, frequentemente, são, de fato, coisas acidentais. A tragédia que ocorreu não foi porque Deus quis que isso acontecesse. Não, Deus não quer a morte de ninguém, Nosso Senhor é o Deus da vida!

Pior do que as tragédias e do que os acidentes é não estarmos preparados para a nossa hora! Assim como aquele que foi vítima de um acidente e não esperava que acontecesse com ele, nenhum de nós sabe qual será o nosso dia e a nossa hora. Por isso nós precisamos estar preparados, porque, na hora em que a “irmã morte” vier ao nosso encontro ela vai nos pegar do jeito que estivermos, não vamos poder dar um jeitinho – “Deixe-me preparar, e encontrar com um padre para me confessar. Deixe-me reconciliar com minha esposa primeiro. Deixe-me pedir perdão aos meus filhos, aos meus amigos”. Não! A cada hora, a cada dia da nossa vida, vamos morrendo mais um pouco, a nossa vida vai diminuindo. É claro que isso não é motivo de tristeza, porque nós vamos diminuindo os dias de nossa vida aqui na Terra e nos aproximando da nossa entrada no Reino de Deus.

É para isso que devemos nos preparar e, a cada dia, ter cuidado e vigilância com a nossa vida e estar preparados para as surpresas da vida, – sobretudo para essa grande surpresa, que é o nosso encontro definitivo com Deus – que será a realização mais plena de toda a nossa vida humana.

No entanto, nós não podemos ser surpreendidos – no sentido negativo da palavra – estando despreparados e não sendo vigilantes e, assim, ser excluídos do prêmio da vida. Essa tragédia é grande! Mas se nós não nos convertermos, vamos morrer assim como muitos morreram (cf. Lc 13, 5). Não é que teremos o mesmo fim que eles, mas assim como foi inesperado para eles, será uma coisa muito inesperada o nosso encontro com Deus se não estivermos devidamente preparados.

Que Deus prepare o nosso coração, que Ele abra o nosso coração para nos convertermos a cada dia. Assim, quando a “irmã morte” vier ao nosso encontro essa não será uma desagradável surpresa, mas a melhor de todas: aquela que nos abrirá as portas do céu!

Deus abençoe você!

Comentários

comentário(s)

↑ topo