13 Dec 2018

Nossa pequenez nos torna grandes no coração de Deus

O que nos faz grandes ao coração de Deus é nos tornarmos pequenos e insignificantes

Em verdade eu vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele” (Mateus 11,11).

A Palavra de Deus, hoje, exalta a figura de João Batista, aquele que batizava. Era muito mais do que aquilo ele fazia além do Jordão, levando as pessoas à conversão, à mudança; ele, na verdade, trazia um batismo de transformação de vida.

João era um convertido, um homem todo de Deus desde o ventre de sua mãe. Ele viveu a graça de ser todo de Deus, santificado ainda no ventre. Por isso, o Evangelho exalta que entre os nascidos de mulher não houve ninguém maior do que João; maior na importância e no profetismo. João é aquele que encerra o profetismo do Antigo Testamento e abre as portas para a profecia do Novo Testamento.

O mesmo Evangelho que o exalta coloca uma outra condição ao nos dizer que o menor no Reino dos Céus é maior do que João. Veja que o Reino dos Céus não é para os grandes, mas para os pequenos.

João era pequeno e se fazia cada vez menor. Ele mesmo dizia a respeito de Jesus: “Convém que Ele cresça, que Ele apareça, que Ele seja exaltado” e que eu desapareça, que eu diminua, porque quem se põe a ser de Deus não se põe para ser grande, o mais importante ou o exaltado, muito pelo contrário, se põe na condição de ser o menor, de ser até aquele que é tido como insignificante, sem importância nenhuma, porque esse é o mais importante no coração de Deus.

Vivemos um tempo em que o sentimento de grandeza, de importância, valorização e exaltação das pessoas tomam conta dos sentimentos humanos porque, muitas vezes, se deixam levar por esse sentimento quando experimentam a depreciação, a crítica, a desvalorização, e caem no vazio existencial, mergulham, muitas vezes, numa depressão, estão com o coração tomado por uma angústia sem nome e sem proporção, porque vivem à mercê da valorização.

O valor que temos está no coração de Deus, e para descobrir o nosso valor precisamos rebaixar o nosso orgulho, a nossa soberba, esse sentimento de grandeza que, muitas vezes, toma conta de nós.

Deus quer que sejamos maiores do que João Batista. Não precisamos pregar mais do que ele nem fazer mais penitências do que ele, não precisamos realizar todas as obras que ele fez, porque ele fez a sua missão.

Podemos realizar a nossa missão, assumir as nossas responsabilidades, mas é essencial a humildade e a pequenez.

Não faça nada com espírito de orgulho e soberba, você pode até pregar o Evangelho no mundo inteiro, mas se o que o motiva é o orgulho, para Deus é depreciativo o que você faz.

O que nos torna grandes ao coração de Deus é nos tornarmos pequenos e insignificantes. Convém que Jesus cresça e que nós sejamos cada vez menores.

Deus abençoe você!


Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Contato: padrerogercn@gmail.com – Facebook

Ajude a Canção Nova!

0%

Confira a ediçao especial da revista
Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.